Home Portal Notícias “Vai ter muita luta”, avisa Zarattini

“Vai ter muita luta”, avisa Zarattini

3 min read
0

O líder do PT na Câmara, deputado Carlos Zarattini (SP), mandou da tribuna um recado ao governo ilegítimo de Michel Temer, logo após a aprovação do texto da Reforma Trabalhista no Senado. “Ninguém se iluda que – aprovando o projeto do jeito que foi – a resistência vai diminuir. Vai ter muita luta”, avisou Zarattini. “Aliás, é esse tipo de proposta, que esse governo gosta de aprovar aqui, que causa essa rejeição gigante. Mais de 90% do povo brasileiro quer o fim do governo Temer e quer eleições diretas”, avaliou.

O parlamentar petista lembrou que a Reforma Trabalhista retroage a momentos anteriores à II Guerra Mundial, quando o trabalhador praticamente “não tinha nenhum direito, não tinha CLT, não tinha nada”. “É isso o que eles querem fazer no País. É isso o que eles querem impor ao povo brasileiro, o fim dos seus direitos conquistados ao longo de muitos anos”, protestou.

Zarattini fez questão de parabenizar as senadoras de oposição que, bravamente, ocuparam nesta terça-feira (11) a mesa do Senado para impedir a votação da reforma. “Essas senadoras defenderam, de fato, o povo trabalhador deste País, porque demonstraram solidariedade para com os direitos do povo brasileiro, que enfrentou e sabe enfrentar com muita coragem esse trator do Poder Executivo, que quer aprovar uma Reforma Trabalhista que joga por terra conquistas de mais de meio século em nosso País”, afirmou.

As senadoras reivindicavam, sobretudo, a rejeição do artigo que permite o trabalho de mulheres grávidas em ambientes insalubres. “Nem isso a base do governo concordou. Ao contrário, quer inclusive impor esse tipo de trabalho às mulheres grávidas. Nós não podemos concordar com isso! Nós não podemos aceitar isso! Vamos resistir enquanto pudermos aqui e principalmente nas ruas, nas fábricas e nas empresas a esse tipo de agressão”.

PT na Câmara

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

As eleições de 2020 e o PT

“É hora de unidade. É hora de posturas firmes e claras. Diante da gravidade da crise…