Home Portal Notícias Comissão da Reforma Política aprova segundo relatório parcial

Comissão da Reforma Política aprova segundo relatório parcial

4 min read
0

A Comissão Especial que analisa uma proposta de Reforma Política já para as eleições de 2018 aprovou na noite desta terça-feira (9), por unanimidade, o segundo relatório parcial do colegiado que propõe uniformizar os prazos de desincompatibilização. A partir de agora, caso seja aprovado no plenário da Câmara e no Senado Federal, esse prazo será de seis meses, incluindo novas categorias.

A intenção do relator da reforma, deputado Vicente Cândido (PT-SP), era garantir isonomia entre todos os candidatos, mas a pressão de parlamentares da bancada evangélica na comissão acabou criando uma exceção. Numa rápida mobilização, eles arregimentaram apoios e decidiram só aprovar o relatório ressalvando um destaque, que, logo em seguida, foi votado e excluiu do relatório os líderes religiosos.

“Cabe emenda no plenário. Para não emperrar os trabalhos na comissão, achamos melhor destacar esse ponto, e o relatório sai da comissão sem incluir os líderes religiosos. Mas isso não impede que esse debate seja levado ao plenário”, detalhou o deputado. “Tenho profunda discordância, porque estamos trabalhando um texto isonômico, buscando tratar todos de forma igual”, completou.

A desincompatibilização é um instituto de direito eleitoral pelo qual a pessoa que pretende concorrer a mandato eletivo deve se afastar de cargo, emprego ou função pública de exercício atual para exercer plenamente seus direitos políticos, evitando a possibilidade de ficar inelegível. Esse segundo relatório parcial modifica justamente a Lei Complementar 64/90, que cria assimetrias ao estabelecer uma infinidade de prazos de desincompatibilização.

A deputada Maria do Rosário (PT-RS), que encaminhou favoravelmente à aprovação integral do relatório, lembrou a importância de estabelecer uma regra geral que alcance a todos. Ele disse que entregou ao relator recentemente uma lista que demonstra haver mais de 50 formatos distintos de desincompatibilização. “Votar contra o texto é deixar permanecer uma situação, onde não há transparência nem isonomia”, defendeu.

O próximo relatório parcial a ser apreciado pela comissão deve incluir regras eleitorais, sistema eleitoral e modelo de financiamento de campanha. Para esta quarta-feira (10), está marcado um café da manhã entre os integrantes do colegiado e os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Herman Benjamin e Luciana Lóssio. Em seguida, às 10h, haverá audiência pública com os dois ministros, no plenário 3.

 

PT na Câmara

 

 

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Câmara aprova orçamento de guerra e cria condições para o governo ter agilidade no combate ao Covid-19

A Câmara aprovou nesta sexta-feira (3) a proposta de emenda à Constituição (PEC 10/20), qu…