Home Portal Notícias Para Lula, entreguismo de Temer leva Brasil de volta à era do “complexo de vira-latas”

Para Lula, entreguismo de Temer leva Brasil de volta à era do “complexo de vira-latas”

6 min read
0

O ex-presidente Lula – em fala contundente nesta segunda-feira (24) – disse estar disposto a “fazer uma boa briga” para que o Brasil retorne à democracia e volte a funcionar com todas as instituições cumprindo o papel que lhes cabe. “Esse País está desgovernado”, disse, referindo-se à condução do Brasil pelo governo golpista de Michel Temer. “Estão abrindo as portas do Brasil para o resto do mundo, quando todos os outros países estão se protegendo. É a volta do complexo de vira-latas”, lamentou.

Durante o encerramento do seminário “Estratégias para a Economia Brasileira”, em Brasília, Lula fez alertas acerca do momento político, reforçou sua defesa dos direitos do povo brasileiro, ressaltou a necessidade de regulamentar a mídia e falou da sua disposição para se defender de todas as acusações que pesam contra si. “Sou eu que mais desejo a verdade. Vou ter, de viva voz, o direito de me defender, porque faz três anos que só escuto”, afirmou, sobre o depoimento marcado pelo juiz Sérgio Moro para a próxima semana, em Curitiba.

No seminário, realizado de forma conjunta entre as bancadas do PT na Câmara e Senado e a Fundação Perseu Abramo, Lula disse ser fundamental politizar a sociedade para fazê-la entender que as mudanças necessárias ao Brasil dependem também de uma mudança qualitativa no Parlamento. “Para fazer o que queremos, temos que melhorar a qualidade dos deputados e senadores eleitos. Precisamos fazer esse debate para politizar a população”, argumentou.

Para Lula, o “País não precisa ter uma pessoa ocupando um cargo de forma ilegítima, sem popularidade”, mas que tem voto no Congresso para aprovar seus projetos. “O Brasil deve ser governado por alguém que saiba cuidar de 204 milhões de pessoas, que precisam ser respeitadas, que precisam ser levadas em conta”, falou, em tom emocionado.

Ao se referir aos meios de comunicação, o ex-presidente sentenciou que, caso eleito para ser o próximo presidente do Brasil, é preciso fazer a regulamentação da mídia. “Será uma regulamentação do tipo da Inglaterra, do tipo que está na nossa Constituição. Não é possível admitir que meia dúzia de famílias detenham o monopólio das comunicações. Eu sei o que estou passando. Sei a quantidade de mentiras contadas a meus respeito 24 horas por dia, de segundo a domingo. São quase 18 horas de Jornal Nacional tentado me massacrar”, detalhou.

Medidas emergenciais – O líder do PT na Câmara, deputado Carlos Zarattini (SP), que falou pouco antes de Lula, ressaltou a importância das medidas emergenciais que constam no documento elaborado conjuntamente pelas bancadas petistas no Congresso Nacional para o Brasil se recuperar. Um dos tópicos do documento é justamente “Defender os direitos do Povo brasileiro”, que aborda ainda outros cinco temas.

“Queremos imediatamente a revogação da Emenda Constitucional 95, que implantou um teto orçamentário que impede o crescimento e o desenvolvimento da educação, da saúde, da pesquisa, da ciência e da tecnologia. Também estamos lutando contra para que seja retirada de pauta a dita Reforma da Previdência, que, na verdade, é a demolição da Previdência e o fim da perspectiva da aposentadoria para a maioria dos brasileiros. Também estamos combatendo a Reforma Trabalhista, que é a tentativa do empresariado de resolver a crise jogando a conta para os trabalhadores”, listou Zarattini.

A cobertura completa do Seminário será publicada em edição especial do “PT na Câmara” nesta quarta-feira (26), com o detalhamento das três mesas de debate.

Tarciano Ricarto
Foto: Lula Marques/Agência PT

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Atentado contra caravana é reação da elite que vê aproximar-se a vitória de Lula

“O que aconteceu ontem (27) é reflexo do que estamos sentindo em toda a caravana. O fascis…