Home Portal Notícias Outras notícias Deputados pedem convocação de ministro para explicar espionagem de brasileiros pelas redes

Deputados pedem convocação de ministro para explicar espionagem de brasileiros pelas redes

5 min read
0

espionagem redes

Os deputados Paulo Pimenta (PT-RS), Wadih Damous (PT-RJ) e Chico D´Angelo (PT-RJ) apresentaram requerimento à Comissão de Direitos Humanos da Câmara pedindo a convocação do ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen. Os parlamentares cobram explicações sobre a denúncia de que o governo Temer tem utilizado uma empresa de tecnologia para espionar brasileiros pelas redes sociais.

Segundo matéria da Folha de S.Paulo, o governo federal gastou, em 2016, R$ 17,6 milhões com uma agência de publicidade para “monitorar a internet em busca de focos de manifestações, identificando quem são os influenciadores nas redes”. Posteriormente, as informações coletadas são enviadas para órgãos públicos, incluindo agentes de segurança, diz o jornal.

No documento, protocolado nesta terça-feira (11), os deputados acusam o governo Temer de violar direitos e garantias básicas do Estado Democrático. “Espionagem e controle de opinião sobre política é prática dos regimes autoritários”, reagiram os parlamentares.

De acordo com Pimenta, a obsessão de Temer por medidas de extremo autoritarismo decorre da falta de legitimidade de seu governo. “Tenta se manter pelo uso da força e de práticas que são condenáveis por sociedades democráticas”, diz.

O deputado recorda que umas das primeiras medidas de Michel Temer, após o golpe, foi a edição da Medida Provisória nº 726/2016, que, na prática, liberou a espionagem por parte de órgãos oficiais do governo, além de ter colocado a Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) sob subordinação do GSI. “Começa com essa Medida Provisória e na escolha de um general para comandar o GSI. Sérgio Etchegoyen foi aquele sujeito que classificou a Comissão Nacional da Verdade como ‘patética’, após a revelação de que um de seus familiares era responsável pela Casa da Morte, local de tortura e morte de presos políticos da ditadura, localizada no município de Petrópolis, Rio de Janeiro”, lembra Pimenta.

Os deputados classificam o episódio de espionagem das redes sociais pelo governo Temer como um “escândalo, que põe em risco a privacidade e segurança de milhões de brasileiros”, com a adoção de práticas que colidem com a legislação do Marco Civil da Internet, aprovada em 2014. “Revela, mais uma vez, o desprezo pela legalidade e institucionaliza a espionagem, a deduragem com dinheiro público, pratica usual das ditaduras”, criticam os parlamentares.

Assessoria Parlamentar

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

TCU determina que Ministério da Saúde apresente plano estratégico de combate à pandemia

O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou nessa quarta-feira (21), que o Ministério d…