Home Portal Notícias Proposta de reforma da previdência é grave ameaça aos direitos dos trabalhadores, afirmam petistas

Proposta de reforma da previdência é grave ameaça aos direitos dos trabalhadores, afirmam petistas

10 min read
0

Seminario1

O primeiro seminário do ciclo de debates sobre “O desmonte da Previdência pública brasileira”, realizado pela liderança do PT na Câmara nesta quinta-feira (9), reforçou entre os parlamentares do partido a certeza da grave ameaça que a proposta enviada pelo governo Temer ao Congresso representa aos direitos dos trabalhadores brasileiros.

Participaram do evento como expositores o professor do Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Eduardo Fagnani; o ex-deputado e professor da Universidade Federal do Pará (UFPA), Cláudio Puty; e o ex-secretário de Políticas de Previdência Social do governo Dilma Rousseff, Leonardo Rolim Guimarães.

Durante o evento, que contou com a participação da maioria dos integrantes da bancada, o líder do PT, Carlos Zarattini (SP), e os deputados petistas Arlindo Chinaglia (SP), Valmir Prascidelli (SP), Enio Verri (PR) e Pepe Vargas (RS) destacaram a necessidade de esclarecer a população sobre os retrocessos contidos na Reforma da Previdência (PEC 287/16) e também ajudar na resistência a proposta.

“É importante que o povo brasileiro tenha acesso a uma informação diferente da propaganda do governo, que é milionária, e visa implantar um clima de terror na sociedade ao tentar induzir as pessoas a acreditarem que a Previdência vai quebrar. Isso não é verdade, esse debate demonstrou claramente que isso não vai acontecer, e que temos de garantir o direto do povo se aposentar”, frisou Zarattini.

O líder disse ainda que a bancada do PT vai fazer a luta política para derrotar a proposta na Câmara, e ainda ajudar os movimentos sociais a espalhar essa resistência para todo o país.

Sobre a ameaça aos direitos previdenciários dos trabalhadores, o deputado Arlindo Chinaglia – que comandou a mesa de debate- observou que a proposta do governo Temer praticamente acaba com a possiblidade de aposentadoria de algumas categorias. “Alguém consegue imaginar que um trabalhador vai conseguir trabalhar e contribuir durante 49 anos para ter a aposentaria integral? Se pegarmos determinadas categorias de trabalhadores, como da construção civil e outras categorias de alta rotatividade de mão de obra veremos que poucas pessoas conseguem ter a carteira assinada por tanto tempo. Essa reforma é uma estupidez, seja do ponto de vista da justiça social quanto da sustentabilidade da Previdência”, afirmou.

Valmir Prascidelli destacou ainda outros segmentos da sociedade que também seriam muito prejudicados caso a reforma seja aprovada. “A proposta do governo golpista de desmonte da Previdência Social vai aprofundar ainda mais as desigualdades que já temos no Brasil. O que veremos são classes como as dos trabalhadores rurais, professores e mulheres condenadas a nunca se aposentar”, alertou.

Na mesma linha de raciocínio, o deputado Enio Verri ressaltou que além do ataque aos direitos adquiridos o debate esclareceu que a própria Constituição do País está em jogo. “Foi um evento brilhante onde tivemos grandes estudiosos que fizeram o debate, até com algumas divergências, mas que serviu para reforçarmos a convicção do que está por trás dessa reforma, que a destruição dos direitos sociais garantidos pela Constituição de 1988”, ressaltou.

Ao destacar a necessidade de mobilização popular para derrotar a reforma, o deputado Pepe Vargas disse que é preciso desmistificar o falso discursos do governo que tenta convencer a população de que o envelhecimento da população torna a reforma indispensável. “Não é problema termos uma população que vive mais, desde que tenhamos um modelo de desenvolvimento econômico e social que distribua renda e promova o crescimento econômico, exatamente o contrário que esse governo golpista vem fazendo”, observou Pepe Vargas.

Na próxima quinta-feira (16) ocorrerá um segundo seminário sobre o mesmo tema, desta vez com Carlos Gabas, ex-ministro da Previdência Social nos governos Lula e Dilma Rousseff, e a economista Laura Tavares, da UFRJ.

Héber Carvalho
Foto: Gustavo Bezerra/PTnaCâmara

Ouça o Deputado Adelmo Leão na Rádio PT

” bg=”dd1a22″ leftbg=”dd1a22″ lefticon=”294781″ track=”ff1b2c” tracker=”ffff00″ text=”000000″ righticon=”294781″ width=”300″ rightbg=”408080″ volslider=”ffffff” skip=”ffffff”]” bg=”dd1a22″ leftbg=”dd1a22″ lefticon=”294781″ track=”ff1b2c” tracker=”ffff00″ text=”000000″ righticon=”294781″ width=”300″ rightbg=”408080″ volslider=”ffffff” skip=”ffffff”]

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Líderes repudiam massacre de trabalhadores

Os líderes do PT no Senado e na Câmara divulgaram nota de repúdio ao massacre de trabalhad…