Home Portal Notícias Aliados de Temer aprovam MP da EBC, mas são constrangidos por carta da OEA

Aliados de Temer aprovam MP da EBC, mas são constrangidos por carta da OEA

7 min read
0

1EBCOAS

A determinação da gestão Temer de acabar com a comunicação pública no Brasil deu mais um passo nesta quinta-feira (8). A base aliada do governo golpista aprovou o parecer da Medida Provisória (MP 744), que transforma a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) em uma mera estatal. Mas não sem antes passar por um baita constrangimento: durante a sessão, o senador Paulo Rocha (PT-PA) leu uma carta da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) questionando as mudanças propostas pela MP.

O texto é assinado pelo relator especial para a Liberdade de Expressão no CIDH, Edison Lanza. O órgão, integrante da Organização dos Estados Americanos (OEA), quer saber os motivos que levaram o governo Temer deslocar a EBC da Secretaria de Comunicação Social para a Casa Civil, órgão que assessora diretamente o presidente da República. Lanza questiona ainda por que a MP permite ao governo de plantão mexer à vontade na diretoria da empresa e os motivos para a extinção do Conselho Curador do órgão – antes da MP, única estrutura que podia demitir o presidente da instituição, para garantir a independência da EBC frente aos governos.

“Reconhendo-se que a liberdade de expressão exige necessariamente uma ampla pluralidade de informações, é essencial garantir que esses meios públicos sejam independentes do governo”, diz a carta. Os questionamentos devem ser respondidos em até 30 dias úteis após o recebimento do documento, remetido no dia 2 de dezembro à secretária de Direitos Humanos do Brasil, Flávia Piovesan.

Pego de surpresa, o relator da matéria, senador Lasier Martins (PDT-RS), limitou-se a classificar a empresa como “custosa” e “inflada”. Mas não deu nenhuma palavra sobre a total liberdade que a MP dá ao governo de mexer tanto na diretoria quanto na programação das emissoras ligadas à EBC.

Já o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) foi além. Durante a discussão da matéria, ele disse que votaria favorável ao parecer por “consideração ao relator”, mas que deveria ser pedido a Michel Temer a total extinção da empresa.

A deputada Angela Albino (PCdoB-SC) não deixou barato. “Acho que a gente vai ouvindo as falas e vão ficando claras duas diferenciações. A primeira é quem tem vocação para a convivência democrática e os que não têm. E a segunda é quem acompanhou o desenvolvimento dessa comissão e quem não acompanhou. Cada um discursa para a sua plateia, mas em momento nenhum aqui nós discutimos eliminar os empregos que estavam em discussão”, disse a deputada a Caiado, em referência ao fato do senador não ter participado de nenhuma outra sessão do colegiado.

A MP 744 segue agora para o plenário da Câmara dos Deputados, onde o governo pretende aprovar a matéria até o dia 13. A intenção é votar no Senado entre os dias 7 e 8 de fevereiro. A medida provisória expira no dia 10 de fevereiro e, se não for aprovada pelo Congresso Nacional até lá, voltam a valer todas as regras anteriores da legislação da EBC .

PT no senado

Foto: Alessandro Dantas

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Programa “Future-se” do governo Bolsonaro é uma ameaça à Universidade pública, adverte Margarida Salomão

A deputada Margarida Salomão (PT-MG) fez hoje (19) severas críticas ao programa Future-se,…