Home Portal Notícias Ilário Marques volta à prefeitura de Quixadá e acredita na retomada do projeto nacional petista de Brasil-Nação includente

Ilário Marques volta à prefeitura de Quixadá e acredita na retomada do projeto nacional petista de Brasil-Nação includente

11 min read
0

ilario

Eleito para o quarto mandato como prefeito da cidade de Quixadá, no Ceará, o advogado Ilário Marques revelou em entrevista ao “PT na Câmara” os desafios que terá pela frente para recompor o “jeito petista de governar” diante da população quixadaense. Ilário é herdeiro de um ciclo virtuoso iniciado por ele mesmo lá, em 1992, quando ganhou as eleições pela primeira vez e conseguiu imprimir a marca das gestões do PT em Quixadá, município que está cravado no sertão central cearense.

Naquela época, quando a Constituição Cidadã dava seus primeiros passos, o então prefeito recém-eleito conseguiu alterar paradigmas na administração municipal, ao implantar o planejamento participativo e estratégico, ao criar projetos inclusivos de políticas públicas e ao empoderar a população num processo jamais experimentado até aquela data. “Naquele momento, vencemos as oligarquias e fizemos uma mudança drástica no processo da organização do município”, recorda Ilário Marques, que também chegou ao comando do município em 2000 e 2004.

Eleito recentemente com 57% dos votos, ele acredita que, mesmo em uma situação de ataque aos direitos sociais, como acontece hoje no Brasil, a população, se for bem direcionada e informada, será capaz de reagir de “forma extraordinária”. “Eu, inclusive, atribuo que o nosso resultado eleitoral – tanto nas ruas como nas urnas, com participação expressiva da população em defesa da nossa campanha – já foi uma demonstração de reação contra as ameaças que estão acontecendo aí para acabar com essas conquistas sociais”.

Segundo Ilário, a campanha pautou esse debate das políticas públicas e deixou claro de que lado a sua coligação estava. “A campanha foi vermelha, e vencemos com o discurso de que precisamos retomar o nosso projeto de desenvolvimento local. Nesse mesmo sentido, faço um paralelo de que precisamos da mesma forma retomar o nosso projeto estratégico de Brasil-Nação. Uma Nação de todos, um País includente”, defende.

O prefeito eleito, que tomará posse no próximo dia 1º de janeiro, afirma que enfrentará o desafio de fazer com que novas políticas públicas consolidem conquistas do passado, apresentando novos horizontes de avanço à população. “Não podemos nunca imaginar que chegará um momento em que as políticas já implementadas bastam. Não. Elas sempre serão superadas por novas demandas, e temos que ter a capacidade de entender as novas demandas da sociedade para liderar a defesa dessas novas demandas”, afirma.

Histórico – Ilário Marques conta que a atual gestão – que se elegeu em 2012 com uma campanha suja contra o PT e com uma promessa de renovação – foi o maior desastre em termos de administração pública que já passou por Quixadá. Para se contrapor a esse projeto desastroso, ele disse que a sua estratégia de campanha foi mostrar o legado petista, deixando claro que essa herança positiva era a prova que respaldava e dava autoridade a esse projeto.

“Pegamos esse legado e apresentamos como testemunho histórico. Conseguimos levar a população a ter crença e fé num processo de mudança verdadeira, aquela mudança contínua que nós vínhamos fazendo, de empoderamento, de distribuição de renda, de políticas públicas universais”, detalha o prefeito eleito.

Ele recorda que quando retornou à administração do município em 2000, para seu segundo mandato, consolidou um projeto estratégico, voltado para o desenvolvimento sustentável. A metade do seu segundo mandato coincidiu justamente com o início da era Lula. “Transformamos Quixadá em uma cidade universitária, conseguimos fazer uma expansão das políticas públicas, com grande resolutibilidade na área da saúde e na educação, passamos a ter os melhores indicadores, implantamos a Biodiesel, que agora eles estão desmontando, porque a Petrobras está saindo da Biodiesel num processo de desmonte, mas está lá um legado muito forte”.

Ilário conseguiu se reeleger e, em seguida, eleger seu sucessor petista para um mandado a partir de 2012. “Mas a pessoa não cumpriu o programa, não deu sequência ao processo estratégico de desenvolvimento da cidade que havíamos criado, e se aliou aos oligarcas. Em 2012, veio a campanha de ódio contra o PT em Quixadá, uma tentativa de me criminalizar com muitos processos na Justiça, denúncias infundadas. E nós enfrentamos com as massas, fomos para as ruas. Fizemos a campanha em 2012, voltei a ser candidato contra todos. E ainda assim tiramos 46% dos votos”.

Para Ilário, a falência dessa gestão que termina em dezembro fez com que a população resgatasse o projeto petista. “E agora vêm novos desafios. Temos que trabalhar coisas muito modernas hoje. Eu sei que falar disso para Quixadá é muita ousadia, mas queremos levar a fundo o que é essa nova revolução industrial que está acontecendo, a quarta revolução industrial; o que é a ‘internet das coisas’; o que é economia compartilhada… Então, temos que trazer coisas novas para as políticas públicas e fazer novamente o empoderamento da população em coisas modernas”.

PT na Câmara

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Petistas questionam no Ministério Público transferência do acervo da Fundação Palmares para prédio com avarias

Parlamentares da Bancada do PT na Câmara entraram com ações na Procuradoria-Geral da Repúb…