Home Portal Notícias Governo ilegítimo de Michel Temer carregará para sempre as digitais de Eduardo Cunha, afirma Fontana

Governo ilegítimo de Michel Temer carregará para sempre as digitais de Eduardo Cunha, afirma Fontana

7 min read
0

Fontana GustavoB

O deputado Henrique Fontana (PT-RS) denunciou hoje (13) no plenário da Câmara a tentativa dos golpistas de descolar o governo ilegítimo de Michel Temer da “contaminação” inicial do processo de impeachment fraudulento que carrega as digitais do deputado agora cassado Eduardo Cunha. Vã tentativa, segundo avaliação do petista. “Temer e Cunha são sócios na história partidária, sócios no golpe e, portanto, Temer sempre carregará a ilegitimidade de ter chegado ao governo sem votos e pela mão de um processo de golpe parlamentar liderado por Eduardo Cunha”.

Fontana afirmou ser necessário ao povo brasileiro raciocinar por que dos 267 deputados que votaram em Cunha para a Presidência da Câmara sobraram apenas 63 que permaneceram do seu lado. A conta considera os dez que votaram contra sua cassação, os nove que se abstiveram e todos os outros que faltaram à sessão desta segunda-feira (12). “Eu lutei muito nesta Casa, tínhamos duas candidaturas dignas disputando aqui, a do deputado Júlio Delgado, e a que eu apoiava, a do deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP). E olha que a história de Eduardo Cunha era sobejamente conhecida”.

O petista reforçou ainda que Cunha foi cassado pela mentira no Conselho de Ética, mas que pesam contra ele crimes muito maiores do que a mentira pela qual foi cassado, “crimes de corrupção grave”, que o fez réu em dois processos no Supremo Tribunal Federal (STF). Consumado o golpe, Fontana lembrou que Cunha não interessa mais aos golpistas, que agora se apressam em querer legitimar o governo de Temer. “Vamos ver como Eduardo Cunha vai reagir nas próximas semanas, se ele fará uma delação premiada, se ele escreverá a história real dos esquemas de financiamento de dentro do PMDB, das suas relações com [Romero] Jucá, com Temer”, disse o petista.

Ele destacou ainda que o senador Romero Jucá – ministro exonerado do governo golpista – foi flagrado em uma conversa gravada dizendo ser necessário retirar Dilma Rousseff do poder para barrar as investigações em curso no País contra a corrupção. “E hoje Jucá é o Presidente Nacional do PMDB! Vejam que governo tem o País hoje. E para completar Michel Temer desafia o bom senso nacional ao dizer que 40 pessoas estavam protestando contra ele! Eu acho que na abertura das Paralimpíadas ele percebeu que o Movimento Fora Temer é muito maior do que 40 pessoas”.

Fontana reforçou que o Movimento Fora Temer vem acompanhado também do movimento por novas eleições, porque, segundo argumentou, só haverá governo legítimo no Brasil de novo quando o povo brasileiro voltar às urnas para escolher seu presidente. “Temer será um presidente ilegítimo, fraco, temporário, e só recuperaremos o pacto democrático brasileiro quando o povo brasileiro puder votar para presidente”.

Antes de concluir o discurso, Fontana fez uma provocação: “Eu gostaria de ver o PSDB indicando o candidato a vice de Temer para disputar a eleição presidencial. A aliança do golpe deve ter um único candidato na eleição presidencial. Temer deve ser o líder, e o PSDB, que hoje apoia o golpe através dele, deve indicar o vice de Temer para defender, numa eleição, o golpe que deram”.

PT na Câmara

Foto: Gustavo Bezerra/PTnaCÂmara

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Líderes repudiam massacre de trabalhadores

Os líderes do PT no Senado e na Câmara divulgaram nota de repúdio ao massacre de trabalhad…