Home Portal Notícias Que a gente vire a página e casse Eduardo Cunha, diz líder do PT

Que a gente vire a página e casse Eduardo Cunha, diz líder do PT

4 min read
0

AfonsoF

Líder do PT na Câmara, o deputado Afonso Florence (BA) acredita na cassação do ex-presidente da Casa e réu no Supremo Tribunal Federal (STF) Eduardo Cunha (PMDB-RJ) nesta segunda-feira (12), quando acontece a votação que decidirá o futuro político do peemedebista. Para Florence, Cunha incitou a violência durante seu mandato na presidência da Câmara, além de usar o cargo para se beneficiar pessoalmente.

“Brasília está pegando fogo. Muitos manifestantes no aeroporto pedindo a cassação de Cunha. Queríamos que a votação fosse na terça ou na quarta-feira, mas nossa expectativa é que os defensores de Cunha percam força no voto. Vamos votar porque Cunha precisa ser cassado. A primeira batalha é pelo quórum, mas já está anunciado um conjunto de recursos, fatiar a votação é uma responsabilidade da Câmara”, disse Florence nesta manhã em entrevista à rádio Metrópole. “Vamos ter o número necessário”, previu.

Na avaliação de Florence, Cunha usou a presidência da Câmara para se beneficiar, para os interesses pessoais dele. “Ele disseminou a cultura da violência numa chantagem pública nacional, abriu o impeachment da presidenta Dilma. Apesar dele se dizer cristão, ele mentiu e roubou. É péssimo exemplo da política brasileira. Que a gente vire a página e casse Eduardo Cunha”, completou o líder petista.

Florence ainda ressaltou a influência que Cunha exerce sobre “vários parlamentares”. “O que se diz é que ele financiou a campanha de muitos parlamentares. Essa blindagem e esse adiamento sistemático da cassação é porque os parlamentares têm medo dele, medo que ele denuncie. Se ele for cassado e falar, muita gente vai junto com ele”, afirmou.

PT na Câmara com Brasil 247

Foto: Gustavo Bezerra/PTnaCâmara

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Líderes repudiam massacre de trabalhadores

Os líderes do PT no Senado e na Câmara divulgaram nota de repúdio ao massacre de trabalhad…