Home Portal Notícias Frente Parlamentar em Defesa do Fisco é criada na Câmara, anuncia Pellegrino

Frente Parlamentar em Defesa do Fisco é criada na Câmara, anuncia Pellegrino

7 min read
0

Pellegrino

O deputado Nelson Pellegrino (PT-BA) anunciou em plenário nesta terça-feira (23) o lançamento da Frente Parlamentar em Defesa do Fisco. Segundo o petista, o atual momento se mostra oportuno para a criação do colegiado em virtude da necessidade de se discutir a valorização da administração tributária do País e, também, de debater temas primordiais relativos à questão fiscal. Tais como: fazer uma reforma tributária e promover um ajuste fiscal sem jogar o ônus em cima de quem mais precisa da proteção do Estado brasileiro.

“Sustentei e tenho sustentado na tribuna desta Casa e no Congresso Nacional que o equilíbrio fiscal não será alcançado com arrocho, com recessão e com perda de atividade econômica. A história do Brasil já demonstrou que o equilíbrio fiscal só se estabelece com o crescimento do Produto Interno Bruto, com um sistema de distribuição de renda e de riqueza, com justiça tributária. E foi nessa perspectiva que defendi no lançamento da Frente Parlamentar que é preciso discutir os temas tributários brasileiros”, destacou Pellegrino.

O parlamentar lembrou que o sistema tributário brasileiro precisa ser mudado por ser regressivo (paga mais quem ganha menos), por punir a produção, por prejudicar assalariados e por poupar o capital especulativo. “Nosso sistema não pune os rentistas e não pune o capital financeiro, que deveria dar uma contribuição maior, para obtermos justiça social no Brasil e o equilíbrio fiscal necessário”, completou.

Pellegrino apontou ainda em seu discurso algumas das ações do governo interino, que, em nome de um ajuste fiscal, vão prejudicar servidores públicos e cidadãos de uma forma geral. Citou como exemplo o anúncio da suspensão dos reajustes já pactuados com os servidores, inclusive o reajuste negociado no governo de Dilma Rousseff, no PL 5.864, que reestrutura a remuneração dos profissionais do Fisco e que determina suas atribuições.

“Medidas como o PLP 257, como a PEC 241 e como essa medida anunciada agora de efetivamente congelar o salário dos servidores só agravarão mais ainda a situação, porque precisamos de um Fisco motivado, precisamos de um Fisco mobilizado, para que o Fisco possa dar sua contribuição na obtenção dos recursos tão necessários ao ajuste fiscal”, argumentou.

Golpe – Diante da implementação de medidas que prejudicam o povo brasileiro, Nelson Pellegrino questionou os parlamentares acerca do teor dessas propostas, já que nenhuma delas foi aprovada nas urnas. “Cinquenta e quatro milhões de brasileiros votaram numa agenda que está sendo golpeada, que está sendo suprimida. A agenda derrotada na eleição está sendo colocada na ordem do dia”.

“Portanto, no mínimo, essa agenda teria de ser submetida a um plebiscito, à vontade popular, porque o povo soberanamente decidiu qual a agenda que o Brasil quer, que é a agenda da distribuição da renda e da distribuição da riqueza, que é a agenda do trabalho, do emprego, da justiça social, da rede social de proteção, de um Estado que cumpra suas funções de proteger o cidadão e de dar a ele a assistência necessária, saúde e educação. Essa agenda está sendo suprimida por um golpe parlamentar. (…) O povo brasileiro não esquecerá que aqueles que patrocinaram a derrota dessa agenda serão cobrados nas urnas no futuro”, finalizou.

PT na Câmara

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Líderes repudiam massacre de trabalhadores

Os líderes do PT no Senado e na Câmara divulgaram nota de repúdio ao massacre de trabalhad…