Home Portal Notícias Comissão vai a Campinas fiscalizar obras do Projeto Sirius

Comissão vai a Campinas fiscalizar obras do Projeto Sirius

5 min read
0

leo siba

Os deputados Leo de Brito (PT-AC), presidente da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle, e Sibá Machado (PT-AC) realizaram na quarta-feira (10) visita técnica às obras do Laboratório de Luz Síncrotron, o Sirius. O projeto conta com um fomento governamental de mais de R$ 1,7 bilhão e que, como lembrou Leo de Brito, “representa a ciência brasileira”.

Os deputados aproveitaram a oportunidade para conhecer a estrutura e o funcionamento de outros laboratórios do complexo do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), organização social ligada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). “Pudemos ver de perto o quanto o nosso País está avançando em ciência e tecnologia, graças aos investimentos feitos pelos Governos Lula e Dilma Rousseff”, afirmou Siba Machado, autor do requerimento para a visita técnica, aprovado pela comissão.

Léo de Brito e Sibá Machado foram recebidos pelo diretor geral da entidade, o engenheiro eletrônico e professor emérito da Unicamp Rogério Cézar de Cerqueira Leite. Em seguida, percorreram as obras do Sirius, uma das mais sofisticadas do País, com exigências de estabilidade mecânica e térmica sem precedentes para não comprometer a trajetória dos elétrons.

Com conclusão prevista para 2018, o projeto já está quase 30% concluído e ocupará 68 mil m2. Segundo o diretor do Lnls, Antônio José Roque, aproximadamente R$ 600 milhões já foram contratados até o momento. “Teremos a luz síncrotron mais brilhante do mundo”, comemora.

Histórico – Criado em 1997, o CNPEM é uma organização social qualificada pelo MCTI. Possui quatro laboratórios referências mundiais e abertos à comunidade científica e empresarial. O Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (Lnls) opera a única fonte de luz síncrotron da América Latina. Operam também no CNPEM o Laboratório Nacional de Biociências (LNBio), que desenvolve pesquisas em áreas de fronteira da Biociência, com foco em biotecnologia e fármacos; o Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia de Bioetanol (CTBE), que investiga novas tecnologias para a produção de etanol celulósico; e o Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano), que realiza pesquisas com materiais avançados, com grande potencial econômico para o País.

Os quatro laboratórios de pesquisas somam 400 trabalhos em andamento. São Paulo lidera as demandas com 40% das pesquisas, seguido pelos demais estados do Brasil com outros 49%, e o restante é ocupado por institutos internacionais.

Assessoria da Comissão de Fiscalização Financeira

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Zé Neto apresenta projeto que garante computador para estudantes pobres de escolas públicas durante a pandemia

O deputado Zé Neto (PT-BA) apresentou um projeto de lei na Câmara (PL 3.699/20), com a coa…