Home Portal Notícias José Serra é subserviente e conspira para evitar que Venezuela assuma presidência do Mercosul, afirmam petistas

José Serra é subserviente e conspira para evitar que Venezuela assuma presidência do Mercosul, afirmam petistas

8 min read
0

BandeiraVenezuela

Os deputados Paulo Pimenta (PT-RS) e Wadih Damous (PT-RJ), em entrevista à TV PT na Câmara, acusam o chanceler do governo golpista de Michel Temer, senador José Serra, de conspirar para impedir que a Venezuela a assuma a presidência rotativa do Mercosul, após a gestão do Uruguai, que se encerrou em julho. “Após conspirar para derrubar o governo legítimo da presidenta Dilma Rousseff, o tucano golpista arquiteta agora um golpe no Mercosul”, alertou Pimenta. “Serra é subserviente e só faz mal aos interesses do povo brasileiro”, acrescentou Damous.

Os deputados petistas lembram que, junto com Fernando Henrique Cardoso, Serra chegou a propor ao presidente do Uruguai, Tabaré Vazquez, que se juntasse ao golpe, ideia que foi rechaçada pelo uruguaio. Já os presidentes direitistas – porém eleitos pelo voto popular – Mauricio Macri (Argentina) e Horacio Cartes (Paraguai) apoiam a armação de Serra.

A postura de José Serra, na avaliação do deputado Pimenta, só confirma a posição contrária desse governo golpista ao Mercosul. “Uma política contrária à integração Latino Americana e que revela uma subserviência aos interesses norte-americanos, em especial, mas também de apoio a acordos bilaterais que interessam à Europa e a multinacionais que, com certeza, para o Brasil não trazem nenhuma vantagem”.

O pano de fundo de tudo isto, explicou Pimenta, é também a questão do petróleo, do pré-sal. “E o governo golpista não tem interesse que neste momento de definições sobre o pré-sal a Venezuela esteja à frente do Mercosul”, afirmou. A Venezuela tem uma política totalmente contrária a esta política entreguista que está sendo desenvolvida, especialmente, a partir da aprovação do projeto (PL 4567/16), do José Serra, que abre abrindo a possibilidade das multinacionais explorarem o petróleo no Brasil.

Paulo Pimenta citou a revelação do WikiLeaks, que mostrou a troca de e-mail entre o tucano José Serra e a Embaixada dos Estados Unidos no Brasil e também representantes da Chevron – uma das maiores petroleiras do mundo – onde o tucano dizia claramente: “Não participem do leilão de libras que está sendo promovido pelo governo Dilma, aguardem a vitória do Aécio, porque nós vamos mudar as regras e elas ficarão muito melhores para nós”. Serra, explicou Pimenta, se referia a nós, a embaixada dos Estados Unidos, a nós a Chevron e não nós enquanto Brasil, num claro reconhecimento da sua postura como um agente do imperialismo norte-americano dentro do Brasil.

Consumação do golpe – Wadih Damous afirmou que José Serra é daquele tipo de gente que só faz mal a um povo, a um País. “É um sujeito deletério, é servil, está a serviço dos Estados Unidos, parece que já pensando na sua candidatura (eleição presidencial de 2018), e já que está proibido financiamento empresarial aqui, quem sabe ele não consegue pela via internacional”, ironizou.

Para Wadih Damous, a atuação do Serra em nível internacional é a consumação do golpe nas relações internacionais. “Uma das razões do golpe aqui no Brasil é exatamente a entrega das nossas riquezas, é o fim da soberania nacional, a entrega do pré-sal”, afirmou. Damous reforçou que há interesse das grandes potências estrangeiras no Brasil e que o posicionamento de José Serra é absolutamente coerente com o processo golpista em curso no País. “Essa é mais uma das razões para nós barrarmos o golpe. Nós não podemos aceitar isso como fato consumado. Esse golpe é sinônimo de barbárie, da volta a um cenário em que o Brasil, com disse Chico Buarque, falava fino com as grandes potencias, sobretudo com os Estados Unidos”.

Confira a íntegra da entrevista:

PT na Câmara

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Petistas questionam no Ministério Público transferência do acervo da Fundação Palmares para prédio com avarias

Parlamentares da Bancada do PT na Câmara entraram com ações na Procuradoria-Geral da Repúb…