Home Portal Notícias Patrus cita conquistas dos governos Lula e Dilma e espera que a fome não retorne ao Brasil com o governo golpista de Temer

Patrus cita conquistas dos governos Lula e Dilma e espera que a fome não retorne ao Brasil com o governo golpista de Temer

12 min read
0

PatrusAnanias LuizMacedo

O deputado Patrus Ananias (PT-MG) ocupou a tribuna nesta quinta-feira (17) para uma reflexão do grave momento que vive o País. Para ele, o golpe impetrado contra o mandato legítimo da presidenta Dilma Rousseff e a ordem constitucional e democrática tem um endereço certo: quebrar o círculo virtuoso das conquistas sociais. “É um golpe contra os pobres, contra o Brasil, contra o projeto nacional que passa pela inclusão e pela justiça. É um golpe a serviço dos interesses do grande capital internacional e seus serviçais no Brasil”, afirmou.

Na avaliação do deputado do PT, o governo golpista e provisório tem pressa e já mostrou a que veio: desvincular e reduzir os recursos destinados à educação, à saúde, à seguridade social; retirar direitos e conquistas previdenciárias e trabalhistas.

Patrus Ananias aproveitou para destacar conquistas dos governos do PT, enfatizando que os governos Lula e Dilma deram extraordinária contribuição ao desenvolvimento social em nosso País. “E a história, moderadora serena no julgamento das pessoas e dos acontecimentos vai confirmar este fato, que já sabem os pobres, as trabalhadoras e trabalhadores que lutam com maiores dificuldades, os agricultores familiares, os pequenos empreendedores, os que constroem a economia solidária, e as pessoas de boa vontade. O presidente Lula iniciou o seu profícuo mandato externando, mais do que um compromisso, um desejo profundo de erradicar a fome no Brasil. Cumpriu a sua palavra e realizou o grande desejo da sua vida. Implantou um conjunto de políticas públicas formadoras do grande projeto de coesão dessas ações: o Fome Zero”, lembrou o petista.

Patrus Ananias, que foi ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome no governo Lula, lembrou que desde o início do primeiro mandato do presidente Lula foram implementadas ações e políticas públicas visando a redução das desigualdades sociais. “Em 2004, integramos ao programa nuclear do Fome Zero, o Bolsa Família, responsável direto pela ascensão de milhões de pessoas em todos os municípios desta grande e querida Pátria brasileira. Assim como o Fome Zero, o Programa Bolsa Família é hoje reconhecido em todos os cantos do planeta. Cumpriu de forma esplêndida os seus objetivos, porque veio articulado com outras ações e políticas públicas”, explicou o parlamentar do PT.

Inclusive, acrescentou Patrus Ananias, em 2014 a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) retirou o Brasil do Mapa da Fome, reconhecendo o êxito do Fome Zero. “Esperamos que a fome não retorne ao Brasil com o governo ilegítimo que tomou provisoriamente o poder”.

Patrus Ananias citou ainda outras ações de combate à desigualdade social implantadas nos governos do PT. “As políticas públicas de segurança alimentar e nutricional, com os restaurantes populares, as cozinhas comunitárias, os bancos de alimentos, o notável Programa de Aquisição de Alimentos (PPA), da agricultura familiar, que atende nas duas pontas: garante ao agricultor familiar o preço justo na colheita e assegura, com os produtos adquiridos, a segurança alimentar de pessoas, famílias e comunidades em situação de vulnerabilidade alimentar; o Luz para Todos, que levou a energia elétrica aos mais distantes rincões do Brasil; o Mais Médicos; Minha Casa, Minha Vida, Pronatec, ProUni, entre outros”, disse.

Agrário – O deputado Patrus Ananias também lembrou os avanços conquistados com as políticas públicas de apoio à agricultura familiar que tiveram início e continuidade nos governos Lula e Dilma. De acordo com Patrus Ananias, que ocupou o Ministério do Desenvolvimento Agrário no governo Dilma, as ações da pasta priorizaram o desenvolvimento da agroecologia e do cooperativismo e agregaram valor à agricultura familiar camponesa através do apoio à implantação de agroindústrias, acesso aos mercados regionais, comercialização, compra direta dos órgãos públicos.

Resistência – Em face do contexto atual do País, o deputado Patrus Ananias defendeu a resistência contra o golpe e na defesa da democracia. “Cabe às forças políticas, sociais, econômicas e culturais comprometidas com o projeto nacional e com as gerações presentes e futuras lutar pelo pleno restabelecimento do Estado Democrático de Direito e pelo respeito à vontade soberana do povo brasileiro manifestada nas urnas”.

Devemos ir além, acrescentou o parlamentar petista, “nesse quadro em que se tornam nítidas as forças políticas e sociais em disputa — de um lado, as forças golpistas do atraso, da submissão aos interesses do dinheiro; do outro lado, estamos nós, com a nossa história, com os nossos compromissos, com os nossos valores humanitários e de justiça —, temos, assim, que reafirmar um novo horizonte de realizações da boa e brava gente brasileira”.

Para Patrus, as alianças no campo democrático-popular devem ir além das paredes do Congresso. “E buscar os movimentos sociais, hoje bem integrados na Frente Brasil Popular e na Frente Povo sem Medo, com as entidades da juventude, com os setores culturais e artísticos, com os estudantes e professores, com os profissionais liberais, com os militantes da economia solidária e os empreendedores democráticos comprometidos com o Estado Democrático de Direito; com as igrejas e tradições religiosas comprometidas com os fundamentos éticos e amorosos que constituem a essência das verdadeiras experiências religiosas”, finalizou.

Gizele Benitz

Foto: Luiz Macedo/Câmara dos Deputados

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Rogério Correia e Malu Ribeiro, da Fundação SOS Mata Atlântica, analisam crime de Brumadinho