Home Portal Notícias Dilma diz que Cunha é “pecado original” do golpe aplicado contra a Constituição

Dilma diz que Cunha é “pecado original” do golpe aplicado contra a Constituição

6 min read
0

Dilma Direitos Humanos

Em discurso na Conferência Nacional de Direitos Humanos, a presidenta Dilma Rousseff voltou a criticar nesta quarta-feira (27) o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e disse que ele é o “pecado original” do processo de impeachment que tramita contra ela no Senado Federal. Dilma afirmou que Cunha, alvo de acusações no Supremo Tribunal Federal (STF), recebeu o pedido de impeachment para se livrar dos processos que pesam contra ele.

“O senhor presidente da Câmara queria fazer um jogo escuso com o governo. Qual é? ‘Votem para impedir que eu seja julgado no Conselho de Ética, tirem os votos que o governo tem no conselho, eram três [votos], e aí eu não entro no processo de impeachment’. Um governo que aceita uma negociação dessas é um governo que entra em processo de apodrecimento. Por isso, nós recusamos essa negociação”, disse.

Sem citar o vice-presidente Michel Temer, Dilma disse que um eventual governo de seu sucessor, caso o Senado decida afastá-la da Presidência, vai retirar direitos sociais e de grupos como a população LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transsexuais e transgêneros). A uma plateia de milhares de defensores dos direitos humanos, Dilma repetiu que não possui contas no exterior, que não usou dinheiro público para se beneficiar, que não é acusada de corrupção e que não cometeu crime de responsabilidade, o que daria base jurídica para o impeachment.

Mais uma vez, a presidenta explicou que os seis decretos de suplementação que foram assinados por ela, e que embasam o pedido de impedimento que tramita no Senado, fazem parte de uma acusação “arranjada” e “frágil”. “Sempre foi feito isso [decretos] no Brasil desde 1994, só que na minha vez é crime. Só tem isso. Não tendo crime para me acusar, inventam que é crime aquilo que não é crime”.

Dilma chamou de “meia verdade” o argumento de o processo de impeachment ser legal porque está previsto na Constituição. “Você faz uma meia verdade pra encobrir sua mentira. De fato, todo mundo aqui pode dizer que o impeachment está previsto na Constituição Federal. Só que não pode ter impeachment sem base jurídica, sem crime. Aí quando você faz impeachment sem base legal você está é praticando um golpe”, disse, reforçando a tese que tem apresentado em discursos.

Resistência – A presidenta disse que vai lutar até o fim para garantir que a democracia brasileira seja respeitada. Segundo a presidenta, o que está em curso é uma nova modalidade de golpe, que atinge diretamente a democracia conquistada ao longo dos últimos anos. “Tem várias formas de golpe. Tem o golpe feito com armas na mão, ou tem golpe feito com tanques. Mas tem um novo tipo de golpe, que você faz com as mãos nuas. Como? Rasgando a Constituição. Este golpe que está em andamento é um golpe contra a democracia, que rasga a Constituição. Nós não vamos deixar esse golpe prosperar”, assegurou.

Agência Brasil com Blog do Planalto

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Solla cobra da Anvisa retorno de fiscalização em aeroportos

Membro da comissão externa da Câmara de Deputados formada para acompanhar a crise do coron…