Home Portal Notícias Dilma diz que máscara dos golpistas caiu, cita “dois chefes” mas reitera que golpe não vingará

Dilma diz que máscara dos golpistas caiu, cita “dois chefes” mas reitera que golpe não vingará

8 min read
0

DilmaDemocracia

A presidenta Dilma Rousseff disse na tarde desta terça-feira (12), durante o Encontro Educação pela Democracia, no Palácio do Planalto, que a máscara dos golpistas caiu com o vazamento do áudio em que o vice-presidente Michel Temer (PMDB-SP) faz uma espécie de discurso de posse, como se o impeachment já tivesse sido aprovado pela Câmara dos Deputados. Segundo Dilma, ficou claro que há dois chefes do golpe que agem em conjunto.

“Ontem utilizaram a farsa do vazamento para difundir a ordem unida da conspiração. Agora conspiram abertamente à luz do dia para desestabilizar uma presidente legitimamente eleita. Ontem, ficou claro que existem, sim, dois chefes do golpe que agem em conjunto e de forma premeditada. Ontem fiquei chocada com a desfaçatez do vazamento. Se ainda havia alguma dúvida sobre o golpe, a farsa e a traição em curso, não há mais. Há um golpe de estado em andamento”, afirmou.

A presidenta explicou como funciona a tática dos golpistas para tentar retirá-la do cargo. “Não sei direito quem é o chefe e o vice-chefe. Um deles é a mão, não tão invisível assim, que conduz, com desvio de poder, o processo de impeachment. O outro esfrega as mãos e ensaia a farsa do vazamento de um pretenso discurso de posse”, disse. “Cai a máscara dos conspiradores. O Brasil e a democracia não merecem tamanha farsa. O fato é que os golpistas que se arrogam, a condição de chefe e vice-chefe, do gabinete do golpe, estão tentando montar uma fraude para interromper no Congresso um mandato que me foi conferido pelos brasileiros”, complementou.

Segundo ela, os próximos dias serão de ataques à sua imagem através de informações falsas, vazamentos ilegais de delações e manchetes escandalosas. “Eles caluniam enquanto leiloam posições do gabinete do golpe. Peço que todos estejam atentos e vigilantes. Tentarão de tudo, nos intimidar, nos tirar das ruas. Não aceitem provocações. Mantenham-se unidos porque não somos do ódio”.

No início do encontro com os profissionais da educação em defesa da democracia, Dilma cumprimentou efusivamente a estudante de Medicina, Suzane da Silva, que sofreu ameaças racistas após publicar nas redes sociais que ‘A Casagrande surta quando a senzala estuda Medicina’. Suzane estuda graças a uma bolsa do ProUni.

“Vou repetir o que disse aqui mesmo, em momentos anteriores: o golpe não é contra mim, embora tentem construí-lo por meio do impeachment. O golpe é contra o projeto de Brasil que represento. É contra tudo aquilo que, nos últimos 13 anos, temos feito com apoio do povo e com o trabalho incansável dos movimentos sociais e de brasileiras e brasileiros como vocês. O golpe é contra as conquistas da população e contra o protagonismo assumido pelo povo brasileiro nestes 13 anos. Protagonismo exercido no acesso à renda e a empregos, na inclusão social e na redução das desigualdades e, sem dúvida, na democratização do acesso à educação”, enfatizou.

Dilma disse que o Brasil não será o país do ódio, numa referência à escalada de tensão por conta da votação do processo de impeachment que ocorrerá domingo, na Câmara dos Deputados.“E que não se construa o ódio como uma forma de se fazer política no País. O ódio, a ameaça, a perseguição de pessoas”, afirmou.

Por fim ela enfatizou que o golpe não vingará: “Pretendem derrubar, sem provas e sem justificativa jurídica, uma Presidenta eleita por mais de 54 milhões de eleitores. A verdade haverá de prevalecer. O impeachment não vai passar. O golpe será derrotado”, finalizou.

Portal Brasil com PT na Câmara
Foto: Roberto Stuckert Filho

Educadores cantam hino nacional no ato em defesa da democracia

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Rogério Correia e Malu Ribeiro, da Fundação SOS Mata Atlântica, analisam crime de Brumadinho