Home Portal Notícias Deputados apresentam representação contra Sérgio Moro no CNJ e citam parcialidade do juiz

Deputados apresentam representação contra Sérgio Moro no CNJ e citam parcialidade do juiz

6 min read
0

CNJ bandeiraBR

Parlamentares do PT e do PCdoB denunciaram o juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava-Jato, ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) na quarta-feira (3). A representação, assinada por oito deputados, pede que o órgão instaure um processo administrativo disciplinar para apurar se o juiz da 13ª Vara da Justiça Federal infringiu regras da magistratura ao divulgar interceptações telefônicas em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva conversa com autoridades que detém foro privilegiado e com seu advogado.

O texto, divulgado na quinta-feira, acusa Moro de parcialidade no julgamento de medidas de investigação contra o governo. “O objetivo do levantamento do sigilo das interceptações contra disposição expressa de lei, parece-nos, inclusive, ter sido a satisfação de interesse ou sentimento pessoal do Juiz Sérgio Moro de perseguir politicamente a presidente Dilma Rousseff a o ex-presidente Lula, gerando instabilidade política no País, oportunisticamente no dia em que Lula foi nomeado ministro”.

Os deputados citam dois fatos para sustentar a suspeita de parcialidade do juiz. Dizem que, em 24 de setembro do ano passado, Moro participou de evento organizado pelo grupo Lide, de João Dória Jr, pré-candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PSDB, acompanhado do presidente da Assembleia Legislativa, Fernando Capez (PSDB-SP), e do empresário Washington Cinel, fundador da empresa de segurança Gocil.

O segundo ponto é a divulgação de uma nota, em 13 de março, em que o juiz agradece o apoio recebido pelos manifestantes que foram às ruas para pedir o impeachment da presidente Dilma. Segundo os deputados, “além de indicar preferências políticas do magistrado e manifestar sua clara parcialidade quanto ao julgamento do ex-presidente Lula, (a nota) viola ainda disposição do artigo 36, III da Lei

Orgânica da Magistratura Nacional”. O texto proíbe os juízes de se manifestarem sobre ações em andamento.

A representação rebate o argumento utilizado pelo juiz para justificar a divulgação das conversas de Lula com Dilma, ministros e senadores de que o teor dos telefonemas é de interesse público. Segundo a representação, “interesse público sempre deve haver para que seja legítima a decretação da interceptação, não para justificar a publicação de seu conteúdo”. As interceptações telefônicas deveriam ter sido encaminhadas ao Supremo Tribunal Federal (STF), de acordo com os parlamentares.

O pedido é assinado pelos deputados: Afonso Florence (PT-BA), líder da bancada do PT na Câmara, Paulo Pimenta (PT-RS), Henrique Fontana (PT-RS), Pepe Vargas (PT-RS), Paulo Teixeira (PT-SP), Wadih Damous (PT-RJ), Jandira Feghali (PCdoB-RJ), Rubens Junior (PCdoB-RS).

Leia a íntegra da representação contra o juiz federal Sergio Moro protocolada no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) por deputados da base aliada do governo

PT na Câmara com agencias

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Rogério Correia e Malu Ribeiro, da Fundação SOS Mata Atlântica, analisam crime de Brumadinho