Home Portal Notícias Fascismo nas ruas: quem dialoga com defensores do golpe militar pode ser vítima também, alerta Solla

Fascismo nas ruas: quem dialoga com defensores do golpe militar pode ser vítima também, alerta Solla

6 min read
0

jorge solla tribuna saluO deputado Jorge Solla (PT-BA) usou a tribuna da Câmara, nesta terça-feira (15), para criticar a violência e o ódio expressado nas manifestações do último domingo (13), inclusive contra os líderes da oposição conservadora que patrocinaram e convocaram os atos em prol do impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Solla citou o caso do deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA), que foi vaiado, xingado e quase atingido por objetos arremessados enquanto ele discursava no carro de som. O petista também rechaçou o golpe e disse que não haverá repetição do que ocorreu em 1964.

“Eu assisti ao vídeo e acho que todo o mundo deveria assistir a ele. Houve até garrafa de vidro jogada contra o Deputado, que estava em cima do trio elétrico. Felizmente, não alcançou o Deputado José Carlos Aleluia, senão o quadro poderia ter sido pior. Apesar de divergir completamente do deputado José Carlos Aleluia, enquanto democrata, eu não posso deixar de vir aqui repudiar esse ato de violência. Uma agressão dessa magnitude contra um Parlamentar agride a democracia”, afirmou Solla, que também se disse solidário ao colega parlamentar do DEM.

O petista mencionou ainda o episódio ocorrido na Avenida Paulista, em São Paulo, quando Aécio Neves e Geraldo Alckmin, entre outros líderes oposicionistas, foram hostilizados e forçados a abandonar o ato. “Aécio Neves de Furnas, como foi denominado mais recentemente, o hexacampeão das delegações premiadas e da blindagem, saiu escorraçado da manifestação. Com base numa escolta de segurança, foi vaiado, achincalhado. Há os vídeos para comprovar isso. Saiu sob empurrões, junto com Geraldo Alckmin, do ‘merendão’, e deputados inclusive da Bahia que foram para São Paulo tomar vaias junto com Alckmin e Aécio”, registrou Solla.

“Quando se dialoga com quem defende o golpe militar, com quem defende o golpe para o impeachment, que não tem justificativa legal, com quem flerta com a saída ao arrepio da Constituição e do Estado Democrático de Direito, passa a ser vítima também. Corre o risco também de ser vítima, como aconteceu neste domingo”, ponderou o deputado baiano.

Dirigindo-se diretamente aos parlamentares da direita, Jorge Solla atacou os golpistas e listou os motivos que os levam a querer o impeachment. “Querem tirar a Dilma para acabar com o pré-sal, para entregar às petroleiras internacionais. Querem tirar a Dilma para tirar o dinheiro das políticas sociais e botar na mão de quem vocês devem, de quem ajudou vocês a se elegerem”, disparou.

Solla encerrou lembrando que na próxima sexta-feira (18) sairá às ruas “o povo brasileiro que elegeu a Presidenta Dilma, o povo brasileiro que conquistou melhores dias neste País, o povo brasileiro que passou a ter acesso à universidade pela primeira vez, que passou a ter acesso a uma série de políticas sociais”.

Assista ao discurso de Solla, que irritou os golpistas no plenário:

https://www.facebook.com/depjorgesolla/videos/1133450680008123/

Rogério Tomaz Jr.
Foto: Gustavo Bezerra/PT na Câmara

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Atentado contra caravana é reação da elite que vê aproximar-se a vitória de Lula

“O que aconteceu ontem (27) é reflexo do que estamos sentindo em toda a caravana. O fascis…