Home Portal Notícias Governo tem atuado para combater o Aedes aegypti, mas precisa do apoio da sociedade, afirmam petistas

Governo tem atuado para combater o Aedes aegypti, mas precisa do apoio da sociedade, afirmam petistas

10 min read
0

dilma 2016 

Os deputados Chico D’Ângelo (PT-RJ), Jorge Solla (PT-BA) e Odorico Monteiro (PT-CE) elogiaram nesta quinta-feira (4) o pronunciamento da presidenta Dilma Rousseff, realizado em rede nacional de rádio e televisão na noite de ontem (2). No pronunciamento Dilma fez uma convocação a todos os brasileiros para se engajarem na “guerra” contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor do vírus Zika, apontado como responsável pelos casos de microcefalia ocorridos no País desde o ano passado.

Segundo os três parlamentares, que são médicos com atuação na área de saúde pública, a presidenta demonstrou ao País que o governo federal está sensível ao problema e tem tomado às medidas necessárias para debelar o problema, mas que ainda assim precisa do apoio da sociedade.

“Esse não é um tema político, mas sim de saúde pública e de grave repercussão na vida de milhares de pessoas. Por isso, deve ser enfrentado por todos, pelos governos – em todos os níveis – mas também por toda a sociedade. É fundamental a participação dos cidadãos brasileiros para debelar esse problema, que não atinge apenas o Brasil, mas dezenas de países no mundo”, disse Chico D’Ângelo.

O deputado Jorge Solla ressaltou que a presidenta Dilma deixou explícito em seu pronunciamento o nível de prioridade que as ações do combate ao Aedes e ao vírus Zika têm para o governo. “Ficou claro para a população que há uma ação coordenada de combate ao mosquito, que alia o combate ao Aedes em cada rua do País e a aplicação de tecnologia para desenvolver uma vacina. Mas o governo sozinho não vai vencer o Zika, não vai vencer o Aedes. Se cada um fizer a sua parte, superaremos essa crise rapidamente. Essa consciência coletiva é fundamental”, afirmou o petista.

Na mesma linha, o deputado Odorico Monteiro destacou a importância da participação da sociedade no combate ao Aedes aegypti. “O governo federal tem feito a sua parte e vem tomando as ações necessárias para combater o mosquito. Mas é de fundamental importância a participação de toda a sociedade para ajudar a evitar o surgimento e eliminar os focos do mosquito já existentes”, ressaltou o parlamentar.

Ações – Durante o pronunciamento, a presidenta enumerou várias ações que serão tomadas pelo governo federal para intensificar o combate à proliferação do Aedes aegypti. Dilma informou que “todos os prédios do governo” serão inspecionados e que, no próximo dia 13, cerca de 220 mil homens e mulheres das Forças Armadas combaterão o mosquito em 356 municípios brasileiros em busca de focos do inseto e para conscientizar a população.

“Vamos nos espalhar por todo o território nacional e, junto com os agentes de endemia e de saúde, junto com você, vamos visitar o máximo possível de casas, para destruir os criadouros do mosquito”, afirmou Dilma.

Após a Secretaria de Saúde de Pernambuco ter informado ao governo federal sobre casos de microcefalia no estado, em menos de 48 horas o Ministério da Saúde já havia enviado técnicos da pasta para investigar a situação. Depois de constatado o surto, em menos de 20 dias o governo federal, por meio do ministério, decretou estado de emergência em todo o País.

Apesar do esforço empreendido pelo governo federal, a presidenta reconheceu que o sucesso da empreitada também depende do apoio da população.

“Formemos um grande exército de paz e de saúde, com a participação dos 204 milhões de brasileiros e brasileiras. Vamos provar, mais uma vez, que o Brasil é forte, tem um povo consciente e não será derrotado por um mosquito e pelo vírus que ele carrega”, destacou.

Microcefalia – Ao se referir às “mulheres brasileiras, principalmente às mães e às futuras mamães”, a presidenta disse querer transmitir uma palavra de conforto.

“Faremos tudo, absolutamente tudo, que estiver ao nosso alcance para protegê-las. Faremos tudo, absolutamente tudo, para apoiar as crianças atingidas pela microcefalia e suas famílias”, garantiu Dilma.

No fim do ano passado, o Ministério da Saúde estabeleceu a relação entre o aumento da microcefalia no Nordeste do país e a infecção por Zika. Segundo Dilma, o governo federal está mobilizando as redes de saúde, de assistência e “todos os recursos necessários” para apoiar as famílias que conceberem crianças com microcefalia.
“Por favor, ajudem-nos a lhes proteger”, conclamou.

Assista aqui ao vídeo do pronunciamento da presidenta Dilma Rousseff.

Héber Carvalho com agência Brasil

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Deputadas do PT repudiam caso de estupro coletivo no Rio de Janeiro e cobram punição exemplar

O estupro de uma adolescente por mais de 30 homens no Rio de Janeiro causou revolta e indi…