Home Portal Notícias Aprovado parecer de Paulo Teixeira que permitirá a retomada do pagamento dos precatórios no País

Aprovado parecer de Paulo Teixeira que permitirá a retomada do pagamento dos precatórios no País

6 min read
0

PauloTeixeiraPrecatorios Gustavo

A Comissão Especial que analisa a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 74/15) que altera o regime de pagamentos de débitos públicos decorrentes de condenações judiciais, os chamados precatórios, e que institui o regime especial de pagamento para os casos em atraso, aprovou por unanimidade, nesta quarta-feira (11), o parecer do deputado Paulo Teixeira (PT-SP).

Entre as principais mudanças, o substitutivo do deputado estabelece novo prazo para o pagamento das dívidas, aponta novas fontes de receita para saldar os débitos, e estabelece o pagamento preferencial dos débitos a pessoas com deficiência, portadores de doenças graves e aposentados com 60 anos de idade ou mais.

“O substitutivo permite a retomada do pagamento dos precatórios em todo o País. A legislação anterior foi considerada inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal (STF), e muitos municípios pararam de pagar. O texto aprovado equaciona o pagamento desse estoque de precatórios para ser pago até 2020 por estados e municípios”, destacou Teixeira.

O texto também aponta que, além dos recursos orçamentários, estados e municípios podem utilizar depósitos judiciais, empréstimos e até constituir um fundo garantidor para honrar o pagamento dos precatórios. “A medida para ocorrer a quitação deve obedecer, entre 2016 e 2020, a mesma dinâmica dos pagamentos realizados entre 2012 e 2014”, explicou.

O substitutivo estabelece o pagamento dos precatórios relativos a débitos de natureza alimentícia – cujos titulares tenham 60 anos ou mais, ou que sejam portadores de doença grave ou possuam alguma deficiência-, e os demais débitos dessa natureza.

Também estabelece a quitação dos débitos referentes a pagamentos de obrigações definidas na lei estadual ou local como de pequeno valor, devidos pela fazenda pública em virtude de sentença judicial transitada em julgado. E ainda os débitos que não se enquadram nas hipóteses anteriores, ou os de maior valor que respondem pela maior fatia dos passivos públicos.

Em março de 2013 o STF julgou inconstitucionais dispositivos do artigo 100 da Constituição Federal alterados pela Emenda Constitucional (EC 62/2009), que instituía um novo regime de pagamento dos precatórios. Desde então, alguns municípios deixaram de pagar os débitos a espera da aprovação de outra proposta com as novas regras.

Acordo- A aprovação unânime do parecer do deputado Paulo Teixeira envolveu um amplo acordo entre os parlamentares da comissão, governos estaduais e municipais, e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), autora da ação direita de inconstitucionalidade que derrubou a PEC que tentou regulamentar o tema.

O texto ainda precisa ser votado pelos plenários da Câmara e do Senado.

Héber Carvalho

Foto: Gustavo Bezerra
Mais fotos: www.flickr.com/photos/ptnacamara

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Petistas questionam no Ministério Público transferência do acervo da Fundação Palmares para prédio com avarias

Parlamentares da Bancada do PT na Câmara entraram com ações na Procuradoria-Geral da Repúb…