Home Portal Notícias “Uber é ilegal e promove concorrência predatória”, diz Zarattini

“Uber é ilegal e promove concorrência predatória”, diz Zarattini

5 min read
0

zarattini luciobernardojrDurante audiência pública da Comissão de Defesa do Consumidor, na quarta-feira (16), o deputado Carlos Zarattini (PT-SP) criticou as tentativas de regulamentação no Brasil do aplicativo Uber, serviço que utiliza motoristas não credenciados para fazer transporte de passageiros. O principal questionamento é que o Uber viola a Lei 12.468/11 que resguarda aos taxistas o direito de explorar o serviço de transporte individual remunerado de passageiros.

Esse sistema é um programa para celulares que estabelece uma ponte entre usuários e motoristas para a prestação de serviço de transporte, como os serviços prestados pelos taxistas. “O Uber promove hoje transporte público individual de passageiro sem cumprir a lei estabelecida pelos governos municipais, responsáveis por estabelecer as tarifas e regulação o sistema. O serviço prestado é completamente ilegal”, alertou Zarattini que já foi Secretário Municipal de Transportes da cidade de São Paulo.  

A decisão do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) que considerou que não existem razões econômicas para a proibição de serviços oferecidos por novos prestadores de transporte individual como, por exemplo, o Uber, também foi duramente questionada pelo deputado Zarattini. “Esse serviço vai contribuir para a extinção de postos de trabalho. Vai levar à falência o sistema de táxi porque é totalmente predatório do ponto de vista da concorrência. O CADE está equivocado ao ignorar que já existe um sistema regulamentado e, ao contribuir com a eliminação dos taxistas, o que vai restar é o monopólio do Uber”.

Participaram da audiência os representantes da Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça, do CADE, da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (Câmara-e.net), do aplicativo 99Taxi e do Uber Brasil.

Jurídico –  Em julho, Zarattini se reuniu com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para discutir medidas jurídicas possíveis para impedir as atividades do Uber no país. Janot, na oportunidade, avaliou que o tema é complexo e prometeu verificar as solicitações feitas.  “Precisamos analisar e verificar se o problema é de competência da União. E sugiro que avaliem as questões trabalhistas envolvidas na prestação de serviço”, declarou o procurador.

Assessoria Parlamentar
Foto: Lúcio Bernardo Jr./Agência Câmara

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Líder do PT pede ao presidente do Congresso a devolução de Mensagem Presidencial que define vetos à lei do uso de máscara

O líder da Bancada do PT na Câmara, deputado Enio Verri (PR), solicitou ao presidente do C…