Home Portal Notícias Superávit na balança comercial deve ser de US$ 12 bilhões em 2015, prevê Armando Monteiro

Superávit na balança comercial deve ser de US$ 12 bilhões em 2015, prevê Armando Monteiro

9 min read
0

grafico economia1

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Armando Monteiro, previu hoje (11) que o saldo positivo da balança comercial até o final de 2015 deverá alcançar US$ 12 bilhões. Até a primeira semana de setembro, o saldo acumulado no ano foi de US$ 7,9 bilhões.
Para o ministro, é um avanço expressivo o superávit desde ano, já que, no ano passado, o Brasil teve um déficit na balança comercial de US$ 4 bilhões. “Então, sairemos desse déficit para um superávit e esperamos superar esse resultado em 2016”, disse.

O ministro destacou a importância do Plano Nacional de Exportações 2015-2018, lançado em junho, cujo foco principal é aumentar as vendas de manufaturados. A remessa de industrializados brasileiros aos Estados Unidos, por exemplo, registra alta de quase 6% neste ano. O ministro observou que é importante o Brasil se aproximar comercialmente dos EUA, um dos pontos principais da visita da presidenta Dilma Rousseff àquele país, em junho passado.

“Estamos trabalhando para remover barreiras não-tarifárias relacionadas à normas técnicas exigidas de produtos brasileiros. Estamos trabalhando, por exemplo, para fazer uma harmonização de normas que beneficiem as indústrias de cerâmica, têxtil, refrigeração, luminárias e alguns artefatos do setor elétrico”, disse Armando Monteiro. As barreiras não-tarifárias são questões burocráticas entre os dois governos que inviabilizam o comércio de determinados produtos.

O Brasil também negocia um acordo automotivo com a Colômbia. A meta é, de acordo com Monteiro, voltar a vender veículos ao vizinho sul-americano. “O país foi um mercado em que o Brasil já teve no passado uma participação muito maior. Nós queremos recuperar o terreno que perdemos no mercado colombiano”, afirmou.

O ministro indicou o setor automotivo como uma das prioridades da pauta de aumento das exportações. Segundo Monteiro, o setor é “objeto de esforço e de atenção especial” no momento em que o mercado interno não consegue absorver toda a produção de automóveis.

Ele listou como resultado dessa estratégia a renovação de acordos com o México e a Argentina, além de uma parceria com o Uruguai na qual o Brasil definiu cotas semestrais de exportações de veículos. “No momento em que o mercado interno se retrai, nós temos que buscar mercados lá fora”, observou.
Monteiro conduz, ainda, negociações para ampliar a nossa corrente de comércio com economias a Bacia do Pacífico. “Estamos ampliando acordo comercial com o México e, aqui na América do Sul, estamos promovendo acordos com o Peru, a Colômbia e o Chile”, informou.

Há conversas também para firmar acordos de facilitação de comércio e de investimentos para apoiar a internacionalização de empresas brasileiras. Os primeiros já assinados foram com Angola, Malaui e Moçambique. Segundo o ministro, foi também firmado um acordo com o México nessa área, e outros estão em negociação com a Colômbia e o Peru.
UE e Rússia – O ministro reforçou a disposição do governo brasileiro de fechar a proposta do Mercosul para o acordo de livre comércio com a União Europeia.

O acordo será feito com base em listas de produtos que cada país do Mercosul abrirá seu mercado, recebendo como contrapartida a abertura do mercado europeu. “Esse processo é complexo, porque não corresponde apenas à posição do Brasil, mas temos de fazer uma harmonização da oferta dentro dos países que integram o Mercosul”, comentou Armando Monteiro. O início da troca de ofertas entre os blocos deve começar em outubro.

O ministro irá à Rússia na próxima semana também em busca de parcerias comerciais de fôlego. A principal pauta será a definição de mecanismos para financiar o fluxo comercial entre os dois países. O financiamento bilateral é visto como alternativa às restrições econômicas da comunidade internacional ao governo russo, que limita a entrada de produtos europeus. “Precisamos encontrar meios de financiamento bilateral capazes de estimular o comércio com a Rússia. É com está agenda que estaremos então participando desse encontro”, disse.

Equipe PT na Câmara com Portal Brasil

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

TCU determina que Ministério da Saúde apresente plano estratégico de combate à pandemia

O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou nessa quarta-feira (21), que o Ministério d…