Home Portal Notícias Deputados condenam declarações de FHC e apontam seletividade em manifestações de domingo

Deputados condenam declarações de FHC e apontam seletividade em manifestações de domingo

7 min read
0

dep18 08 15

Parlamentares da Bancada do PT na Câmara ocuparam a Tribuna nesta terça-feira (18) para uma avaliação das manifestações ocorridas no último domingo no país e para criticarem a as declarações do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso que chegou a defender numa rede social a renúncia da presidenta Dilma Rousseff.

Para o deputado Henrique Fontana (PT-RS), FHC “deveria ter o equilíbrio, de quem se espera, num momento complexo do País, contribuições no sentido de estabilizar — mesmo com ideias diferentes — o ambiente político, que é o interesse de todos que querem melhorar a economia brasileira e querem garantir um combate efetivo à corrupção. O ex-presidente flertou perigosamente com a ideia do golpismo ao dizer que o mandato da Presidenta Dilma seria legal, mas ilegítimo”, analisou Fontana.

O deputado Zé Geraldo (PT-PA) também criticou as declarações de FHC. “O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, não tem moral para falar que a presidenta Dilma tem que renunciar ao mandato. Não houve mandatos piores neste Brasil do que exatamente os do senhor Fernando Henrique Cardoso. É muita irresponsabilidade, é muita cara de pau de FHC, que está aposentado, com a sua fundação intocável, ganhando dinheiro”, disse.

Manifestações – Fontana também declarou indignação com o “tom” de alguns cartazes mostrados no domingo. “Como democrata, haverei sempre de respeitar toda e qualquer manifestação, seja ela de crítica, de elogio, coincidente ou não com as ideias que defendo, mas me preocupa, o tom de alguns cartazes e de algumas falas nessa manifestação. A corrupção é tratada de forma seletiva, como se a corrupção pudesse ser combatida com a ideia de criminalizar um partido e um governo”, disse.

Para a deputada Moema Gramacho (PT-BA) quem foi à rua no domingo não é a representação da maioria da população do país. “O governo tem que levar em consideração o dia 16, até porque o governo é para todos e a presidenta é de todos os brasileiros e brasileiras. Mas, precisamos fazer a leitura do que aconteceu. O povão não foi para a rua porque o povão sabe que quem mais permitiu o acesso aos direitos, à universidade pública, às escolas técnicas, à alimentação, à garantia das suas condições de vida, à melhoria das condições de vida. Esse acesso deu-se a partir do governo Lula”.

Para o deputado Marcon (PT-RS), o único objetivo dos protestos foi o de atacar a presidenta da República e o ex-presidente Lula. “Ficou claro que, além de não ter povo com cheiro de suor na ruas, e sim, apenas uma classe média e alta. E por que o ex-Presidente Lula virou tanto o alvo de agora? Justamente porque o mesmo está posto como o candidato à sucessão da presidenta Dilma, em 2018”, afirmou o petista.

O deputado Bohn Gass (PT-RS) afirmou que o protesto do domingo foi financiado pelos líderes tucanos derrotados nas eleições de outubro de 2014. “Na rua só estavam os eleitores do Aécio. Os derrotados das urnas, que, ao invés de aumentar, diminuíram. E ainda perderam espontaneidade, legitimidade, volume e massa. Eu só não chamo de fracasso porque respeito aquela parcela de gente que, honestamente, quer um país melhor .Mas, sinceramente, espero que os patrocinadores da fanfarra façam a leitura correta do que aconteceu domingo. E entendam, de uma vez por todas, que o Brasil tem uma democracia sólida que não autoriza golpismos”, disse Bohn Gass.

Gizele Benitz

Foto: Agência Câmara

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

PIB cai 1,5% e fracasso, enfim, sobe à cabeça de Guedes

Ministro da Economia admite agora que economia brasileira não vinha bem. “A impressão que …