Home Portal Notícias Líder reúne-se com chanceler para tratar de cooperação fronteiriça Brasil/Bolívia

Líder reúne-se com chanceler para tratar de cooperação fronteiriça Brasil/Bolívia

8 min read
0

Siba

O líder do PT na Câmara, Sibá Machado (AC), reuniu-se nesta segunda-feira (6) com o chanceler Mauro Vieira com o objetivo de apresentar uma agenda de integração elétrica entre  Brasil e Bolívia, além da implementação de vários projetos de cooperação na área fronteiriça.  Segundo o líder, esses temas podem ser detalhados pela presidenta Dilma Rousseff e o presidente Evo Morales no próximo dia 17, em Brasília, durante a  47º Cúpula de chefes de Estado do Mercosul.

Sibá recordou que ambos os governos têm tratado de projetos na área fronteiriça e chegaram a firmar alguns memorandos. “ Mas chegou a hora de dar um impulso maior aos entendimentos, pois a cooperação no setor elétrico interessa tanto à Bolívia como ao Brasil’’, disse o líder. Um dos eixos seria a construção de duas hidrelétricas, uma binacional, no trecho boliviano do rio Madeira, e outra em território do país vizinho.  

“Trata-se de uma agenda que se coaduna com os interesses dos dois países; no caso, do Brasil, em especial, para a nossa segurança energética, o desenvolvimento da região fronteiriça e a integração da infraestrutura’’, disse o líder. A hidrelétrica binacional teria capacidade de 3 mil megawatts,  e a outra, em território boliviano,  900 quilowatts.

Memorando – O líder do PT entregou ao chanceler um documento em que propõe  a assinatura de um memorando de entendimentos entre a Eletrobrás e sua congênere boliviana, a Ende, para que possam realizar  estudos de viabilidade técnica e econômica para os empreendimentos sugeridos. Os conselhos de administração das duas entidades já trataram do tema em março deste ano. As agências reguladoras do setor elétrico dos dois países, Aneel e AE, também já assinaram convênios.

O líder do PT observou que a cooperação no setor elétrico insere-se num projeto maior de cooperação entre o Brasil e Bolívia, com benefícios diretos para os estados do Acre e de Rondônia.  Os  lagos a serem formados pelas hidrelétricas, por exemplo, poderão ser usados para a criação de peixes, com base em experiência que vem sendo implementada no Acre, envolvendo governo, empresas e comunidades locais. Acre produz até 23 mil toneladas de peixe por ano, e a meta é chegar a 100 mil toneladas.

O presidente da Bolívia, Evo Morales, foi ao Acre em maio, juntamente com o ex-presidente Lula, para visitar o Complexo Agroindustrial do Peixe, uma das marcas do governo  Tião Viana (PT). Esse projeto visa a dinamizar a economia do estado do Acre, que planeja tornar-se um dos maiores produtores de pescado do mundo.

Segundo Sibá, os bolivianos têm interesse na experiência e, a depender do desenrolar da cooperação no setor elétrico, o modelo de piscicultura desenvolvido no Acre poderá ser replicado. Os bolivianos têm interesse também em  cooperação técnica, e a Universidade Federal do Acre e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre poderão atuar.

O líder destacou também a importância da construção da Ferrovia Transoceânica, projeto a ser desenvolvido em parceria com os chineses, com benefícios diretos aos estados do Acre, Rondônia e Mato Grosso. “Todos os projetos para incrementar a economia da região sob influência da ferrovia, inclusive as parcerias com a Bolívia, poderão se beneficiar com a obra, que nos dará acesso direto aos mercados da Ásia, via Peru”, comentou Sibá Machado.

Equi PT na Câmara

Foto: Gustavo Bezerra/PT na Câmara
Mais fotos no 
www.flickr.com/ptnacamara

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

TCU determina que Ministério da Saúde apresente plano estratégico de combate à pandemia

O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou nessa quarta-feira (21), que o Ministério d…