Home Portal Notícias Em votação “relâmpago” comissão aprova medida provisória sobre gestão de clubes de futebol

Em votação “relâmpago” comissão aprova medida provisória sobre gestão de clubes de futebol

6 min read
0
MPFUTEBOL
 
Sob  protesto de vários parlamentares, a comissão mista incumbida de analisar a medida provisória (MP 671/15) que, entre outros pontos, estabelece práticas de responsabilidade fiscal e de gestão transparente para clubes de futebol votou de forma relâmpago, nesta quinta-feira (25), o relatório do deputado Otávio Leite (PSDB-RJ). O parecer foi aprovado em menos de dois minutos. 
 
A sessão de votação, que havia sido cancelada na quarta-feira (24), foi retomada pontualmente às 9h de hoje pelo presidente do colegiado, senador Sérgio Petecão (PSD-AC), que aguardou por 15 minutos a chegada de outros parlamentares. Passado o tempo, mesmo com o plenário quase vazio, o parecer foi colocado em votação, já que o quórum estava mantido do dia anterior. Com as condições regimentais dadas, o presidente também considerou prejudicados todos os destaques ao texto, já que nenhum dos seus autores estava presente.
 
Em dois minutos, o relatório foi aprovado, e a sessão foi encerrada. Logo após o término, os deputados começaram a chegar ao plenário da comissão e questionar a condução açodada da sessão. O deputado Vicente Cândido (PT-SP) lamentou a quebra de acordo para a votação do texto, sobretudo com relação aos destaques considerados prejudicados. “Essa ligeireza neste momento não constrói relações. O bom senso recomenda que uma matéria dessa natureza não seja votada com plenário vazio”. 
 
O parlamentar disse ainda que o relator poderia ter esperado um pouco mais para fazer o debate e explicar os destaques que iria acatar e aqueles que não iria, apontando ainda os que seguiriam para voto e os que seriam objeto de acordo. “Isso estava combinado com o relator. A Câmara funcionou ontem até meia noite e meia, e seria razoável esperar chegar mais gente. Queria registrar meu descontentamento e mais essa quebra de acordo na política, que é muito ruim para as relações”, completou.
 
O deputado Andrés Sanchez (PT-SP), vice-presidente da comissão mista, também lamentou a quebra de acordo. “Agora temos que aguardar para saber o que vai acontecer no plenário da Câmara. Todo mundo já sabia que seria aprovado, então pra quê fizeram isso? Mais uma vez, quem vai pagar o preço são os clubes”, analisou Sanchez, que já foi presidente do Corinthians. 
 
O relator explicou que, das 161 emendas apresentadas ao texto, ele acatou 52 em seu parecer. Com o relatório pronto, foram apresentados 12 destaques, sendo a maioria de caráter supressivo – ou seja, para retirar itens incluídos pelo relator. Ele explicou ainda que havia necessidade de votar esta semana o parecer, já que existe acordo para que a matéria, que caduca em 17 de julho, seja votada no plenário da Câmara na próxima semana. Depois disso, ela seguirá para o Senado. 
 
PT na Câmara 
Foto: Geraldo Magela/Agência Senado
 
Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

MST lança Plano Emergencial de Reforma Agrária Popular em todo País

Os deputados do Núcleo Agrário da Bancada do PT na Câmara dos Deputados, Valmir Assunção (…