Home Portal Notícias Reforma política: relator altera texto e aumenta mandato de senadores e prefeitos

Reforma política: relator altera texto e aumenta mandato de senadores e prefeitos

4 min read
0

reformapoliticacoalizao

Durante a reunião da Comissão da Reforma Política (PEC 182/07) realizada nesta quinta-feira (14), o relator do colegiado, deputado Marcelo Castro (PMDB-PI), anunciou alterações no parecer final apresentado por ele na última segunda-feira (11). Entre as principais mudanças, está o aumento da duração dos mandatos dos senadores dos atuais 8 para 10 anos, e dos prefeitos e vereadores eleitos em 2016 para seis anos.

O texto anterior reduzia o mandato do senador para cinco anos, e estipulava o mandato dos prefeitos e vereadores eleitos em 2016 em dois anos (mandato tampão), com direito a uma reeleição. Com a nova regra, a coincidência dos mandatos passa a valer a partir das eleições de 2022.

Conheça as mudanças no relatório:

– O mandato de senador passa para 10 anos. No relatório anterior era de cinco anos.

– Os candidatos a senador poderão ter um suplente (desde que não seja o cônjuge ou parente até 2º grau). A primeira versão do relatório acabava com a figura do suplente.

– Os senadores eleitos em 2018 terão mandatos de nove anos.

– O mandato de prefeitos e vereadores eleitos em 2016 será de seis anos, e a partir de 2022 será cinco anos, coincidindo com os outros mandatos. O texto anterior definia em dois anos o mandato dos eleitos em 2016, com possibilidade de apenas uma reeleição em 2018 (quando haveria a unificação dos mandatos).

– A cláusula de desempenho para funcionamento de partidos políticos caiu para 2% dos votos em todo o País e 1% em pelo menos 1/3 dos Estados. (Antes estava definido em 3% em todo o País, e 2% em pelo menos 1/3 dos Estados).

– O Presidente da República, os Governadores, os deputados federais, Estaduais e Distritais eleitos em 2018 terão mandatos de quatro anos. (o texto anterior fixava cinco anos, a partir de 2018).

– O detentor de mandato eletivo poderá se desligar do partido nos 90 dias seguintes à promulgação da PEC. (O prazo no texto anterior era de 180 dias).

Héber Carvalho

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

TCU determina que Ministério da Saúde apresente plano estratégico de combate à pandemia

O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou nessa quarta-feira (21), que o Ministério d…