Home Portal Notícias Bohn Gass repudia trabalho escravo em data da abolição da escravatura

Bohn Gass repudia trabalho escravo em data da abolição da escravatura

3 min read
0
BohnGass luismacedo
Foto: Luis Macedo/Agência Câmara
 
O deputado Bohn Gass (PT-RS)  saudou em plenário o dia 13 de maio, data oficial da abolição da escravatura no Brasil. “Mas devo fazer um registro fundamental: 13 de maio foi a vitória da luta de Zumbi, não um favor dos senhores brancos”, lembrou.
 
Entretanto, lamentou o deputado que a escravidão não acabou. “Depois de 127 anos de esta Câmara ter aprovado a Lei Áurea (votada aqui em 12 de maio de 1888) alguns números ainda nos envergonham”.
 
Ele ilustrou que de 1995 a 2014, 48.068 pessoas ainda estavam vivendo em condições análogas à escravidão em nosso país.  “Sejamos justos, foi o governo FHC quem deu os primeiros passos no sentido de acabar com esta chaga. Mas, como em tudo, o governo tucano fez pouco. Nos 8 anos de Fernando Henrique, 5.893 trabalhadores que eram tratados como escravos foram retirados desta condição desumana. Já nos 12 anos de Lula e Dilma, este número saltou para 42.175 resgates”, ilustrou. Foram 736 no governo tucano e 3.514 nos governos do PT.
 
“Então, reconhecendo o mérito do governo tucano de ter dado início ao combate ao trabalho escravo, devo dizer aos senhores e às senhoras, que este combate só se tornou efetivo nos nossos governos”, afirmou Bohn Gass.
 
O deputado disse ainda que em 13 de maio só resta “repudiar com toda a nossa força e coragem, qualquer forma de trabalho ou condição humana degradante e que diferencie um ser humano do outro, seja pela cor da sua pele, pela classe social ou pela condição econômica”, finalizou.
 
Assessoria Parlamentar
Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

João Daniel denuncia que regularização fundiária proposta por Bolsonaro acentua injustiça agrária

A preocupação com a medida provisória (MP 910/19), editada esta semana pelo governo federa…