Home Portal Notícias Presidente da ANA propõe criação de fórum para acelerar decisões em tempos de crise hídrica

Presidente da ANA propõe criação de fórum para acelerar decisões em tempos de crise hídrica

6 min read
0
ANA
Foto: Salu Parente
 
“No geral, a situação é de extrema gravidade no sistema hidráulico do País e, no Nordeste, é mais ou tão preocupante quanto na região Sudeste.” Este foi o recado do diretor-presidente da Associação Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreu, durante a audiência pública da Comissão Especial da Crise Hídrica, que iniciou um diagnóstico sobre a escassez de água no Brasil, a convite do relator, deputado Givaldo Vieira (PT-ES).
 
De acordo com Andreu, a crise hídrica se estabeleceu em fevereiro de 2014 no país e, hoje, é muito preocupante, já que um período de estiagem está prestes a começar. “Estamos chegando ao final da chamada quadra chuvosa, que ocorre nos quatro primeiros meses do ano e a recuperação dos níveis de água foi muito baixa, de forma generalizada, e a situação do Nordeste é mais grave do que a de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro”, afirmou.
 
Ainda segundo o presidente da ANA, o panorama atual exige manutenção das condições de oferta de água, como tem sido prática nos estados mais afetados pela falta, incluindo também o Espírito Santo. “Outra questão vital para ser alinhada é a dominialidade da água, ou seja, é preciso definir corretamente os responsáveis pelo uso da água e criar um fórum que contemple vários atores, entre poder público e sociedade, para agilizar a tomada de decisões em momentos de crise. É urgente um grande esforço institucional para recuperar a reservação de água no País.”
 
Para o deputado Givaldo, a audiência com a apresentação de especialista sobre o tema traz luz à importância da criação de um padrão nacional do uso da água, envolvendo todos os atores possíveis. “A partir do robusto diagnóstico que iniciamos nesta oportunidade, vamos aprofundar o estudo sobre os movimentos de chuvas no país, sobre o reflorestamento, legislação, ocupação territorial e proposição de ações governamentais e legislativas para, a médio e longo prazo, melhorarmos a situação crítica que é a oferta de água hoje nos nossos estados e municípios”, declarou.
 
A audiência pública também contou com a apresentação do coordenador-geral de Operações e Modelagens do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais, Eduardo Mário Mendiondo, e com a participação de parlamentares que fazem parte da comissão, além de representantes da Fundação SOS Mata Atlântica, e outras organizações.
  
Assessoria Parlamentar
 
 
Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Índice de Desenvolvimento Humano do Brasil vai de mal a pior, aponta pesquisa

De acordo com dados divulgados nesta segunda-feira (9), pelo Programa das Nações Unidas pa…