Home Portal Notícias Encontro entre ministros e líderes da base aliada sinaliza para entendimento acerca do ajuste fiscal

Encontro entre ministros e líderes da base aliada sinaliza para entendimento acerca do ajuste fiscal

8 min read
0
guimaPEPE LEVY
Foto: Assessoria Parlamentar
 
A reunião desta terça-feira (24) entre os líderes da base aliada e os ministros da Fazenda, Joaquim Levy; da Previdência, Carlos Gabas e das Relações Institucionais, Pepe Vargas, apontou para um grande entendimento entre o Governo e o Congresso Nacional  acerca das propostas sobre o ajuste fiscal, em tramitação na Casa. Essa é a avaliação do Líder do Governo na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), um dos articuladores do encontro. 
 
“Primeiro é importante destacar a manifestação de agradecimento do ministro Joaquim Levy, que reconheceu publicamente o esforço que os líderes da base vêm fazendo, sinalizando  para acordo em torno do ajuste Fiscal. Ele (Levy)  reconheceu o trabalho, o empenho e as votações ocorridas aqui na Câmara.  Ele avalia que estamos agindo com todo cuidado para fazermos os ajustes necessários para a retomada do crescimento”, afirmou Guimarães. 
 
De acordo com o líder do governo, o ministro apontou também como ponto importante para o momento político e econômico que o país está vivendo, a manutenção da nota do Brasil pela agência internacional de risco Standard and Poor’s, que manteve a nota de crédito de longo prazo do Brasil em moeda estrangeira como grau de investimento “BBB-” . 
 
“O ministro considerou significativo para o Brasil e para a relação da economia brasileira com o mundo, a confiança dos investidores de que não haverá nenhum descontrole”, destacou.  
 
Questionado sobre se as ações do governo, em conjunto com a base aliada, influenciarem para a manutenção da nota brasileira, Guimarães foi taxativo: “Claro que influenciaram. A manutenção dos vetos nas votações da semana retrasada, a retirada de pauta da proposta de indexação do salário mínimo e a votação do Orçamento. São três fatos muito relevantes que de per si (isoladamente), não resolvem, mas ajudam nesse esforço coletivo”, afirmou o líder do governo.
 
Guimarães destacou a relação que vem sendo travada entre o governo e o Congresso. Ele frisou que, nos últimos dias, já houve vários encontros entre as equipes econômica e política do governo com os parlamentares e líderes da Casa. “É importante a relação que ele (Levy) está mantendo com a Câmara. Portanto, essa é a sinalização para esse ambiente conturbado.  O ministro da Fazenda ressalta, como nós da base, que demos uma importante contribuição para a retomada do debate no conjunto das iniciativas”, reafirmou.
 
Centrais –  Guimarães relatou que  está sendo construída uma  agenda  de diálogo com as centrais sindicais para os dias 6,7, 8 e 9 de abril.  Em relação às medidas provisórias que tratam dos direitos trabalhistas e previdenciários, o debate já está sendo feito, garantiu Guimarães. 
 
Sobre o salário mínimo, o líder do governo adiantou que de hoje até amanhã a base aliada pretende chegar a um entendimento sobre a questão. “Nós vamos buscar um entendimento sobre o salario mínimo porque o governo tem um compromisso com a política de reajuste de ganho real dos trabalhadores no Brasil. Vamos buscar soluções para promover o acordo para aprovar o ajuste”, enfatizou. 
 
Jose Guimarães reafirmou que a “espinha dorsal” dos direitos trabalhistas será mantida. “Vamos manter os a espinha dorsal, mas é preciso  rearrumar, moralizar,  fazendo algumas modificações para corrigir distorções dos benefícios da previdência social”, finalizou. 
 
Benildes Rodrigues 
Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Moro mentiu sobre atuação como cabo eleitoral de Bolsonaro e deve ser convocado pelo Congresso, defende Pimenta

O líder do PT na Câmara, deputado federal Paulo Pimenta (RS), defendeu hoje (18) a convoca…