Home Portal Notícias Manobra de deputado tucano tenta acelerar votação de PEC que retrocede em direitos indígenas

Manobra de deputado tucano tenta acelerar votação de PEC que retrocede em direitos indígenas

5 min read
0

padreton112014

Foto: Edmildo Cirilo

Tensão entre parlamentares favoráveis e contra a mudança no procedimento de decisão sobre demarcação de terras indígenas no país marcou reunião convocada de forma extraordinária na quarta-feira (10) pela comissão especial encarregada de analisar a PEC 215/2000.

Por mais de duas horas, os parlamentares do PT, PV, PSB, PC do B e PSOL conseguiram obstruir, por meio de questões de ordem e pedidos de leitura, a discussão e votação de atas das reuniões anteriores, para que a comissão prosseguisse os trabalhos.

A reunião foi uma manobra do vice-presidente, deputado Nilson Leitão (PSDB-MT), que conseguiu o apoio de 1/3 dos integrantes da comissão, apresentou uma questão de ordem no Plenário da Câmara e teria obtido do presidente Henrique Alves (PMDB-RN) autorização para a sessão. Ela iria ocorrer somente na próxima terça-feira, já agendada pelo presidente da comissão especial, deputado Afonso Florence (PT-BA).

Uma das tentativas de protelar os trabalhos e adiar a apreciação do relatório do deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), relator da PEC 215, foi feita pelo deputado Padre Ton (PT-RO), coordenador da Frente Parlamentar em Defesa dos Povos Indígenas e recentemente colocado por seu partido para integrar a Comissão Especial.

Padre Ton invocou artigos do regimento interno da Câmara, entre eles o 256, para demonstrar insatisfação com a condução do processo de apreciação da PEC na Comissão Especial, citando que as mesas redondas realizadas em Santa Catarina, Pará, Mato Grosso, Bahia e Minas Gerais entre outras não limitaram a participação de pessoas que traduzem o contraditório da bancada ruralista.

“Ainda que se alegue que muitos deixaram de comparecer em algumas reuniões, foram por motivos justificados; alguns sofreram hostilidades, como ocorreu com o o procurador Carlos Humberto Prola na reunião ocorrida em santa Catarina”, reclamou Padre Ton.

Padre Ton sugeriu retirar de pauta a PEC 215 até que se disponibilizasse as notas taquigráficas referentes às audiências requerimentos que não foram levados em conta segundo ele.

O deputado Zequinha Sarney (PV-MA) reforçou a posição de Padre Ton, dizendo que as entidades da sociedade civil não foram ouvidas pela Comissão Especial, repudiando a forma como a Comissão está sendo conduzida.

A Polícia Legislativa teve de reforçar a segurança. Posteriormente, apenas cinco indígenas entraram no plenário 5 e reclamaram que havia dezenas barrados do lado de fora do Prédio do Congresso.

Os indígenas e parlamentares contrários à PEC temem que a submissão das demarcações de terras ao Congresso possa impedir a criação de novas áreas indígenas, devido à força da bancada ruralista no Legislativo.

Assessoria Parlamentar

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

STF questiona Lira sobre impeachment e Bolsonaro fica nervoso

“Só Deus me tira”, reagiu, fora do sério, Bolsonaro, cada vez mais cobrado pela sociedade …