Home Portal Notícias Petista quer incluir no currículo escolar violações aos direitos humanos no período da Ditadura

Petista quer incluir no currículo escolar violações aos direitos humanos no período da Ditadura

6 min read
0

renatosimoes-20-08-14

FOTO: GUSTAVO BEZERRA/PT NA CÂMARA

O deputado Renato Simões (PT-SP) protocolou nesta quarta-feira (20) o projeto de lei (PL 7899/14) que inclui no currículo oficial das redes pública e privada de ensino a disciplina: “A Ditadura militar no Brasil e a Violação dos Direitos Humanos”. O autor da proposta afirma que o objetivo do projeto é contar a verdadeira história sobre o que ocorreu no País durante o período da Ditadura.  

“A sociedade brasileira está fazendo um acerto de contas com o seu passado, através das comissões da verdade, para recontar a história verdadeira sobre o período da Ditadura Militar. Isso precisa ser assegurada as novas gerações através do processo educacional, portanto nosso projeto quer permitir que a juventude de hoje, e as pessoas que virão depois, possam incorporar essa revisão da história do Brasil no período da Ditadura Militar”, explicou.  

De acordo com o parlamentar, ainda existe uma lacuna na história brasileira por causa dos fatos omitidos nos livros escolares, “que ainda é contada com o viés da história forjada durante o Regime Militar”. “Isso vale tanto para os bancos escolares, quanto na formação de cadetes e oficiais das Forças Armadas, dos quais muitos permanecem ainda louvando os antigos ditadores, e desconhecendo as graves violações de direitos humanos acontecidas naquele período”, ressaltou Renato Simões.

Se aprovada, a proposta deverá se chamar Lei Iara Iavelberg, em homenagem a militante política assassinada no dia 20 de agosto de 1971, em Salvador (BA), após ser presa e torturada por órgãos de repressão. Porém a confirmação sobre as condições da morte só apareceram décadas depois, após a família de Iara obter na Justiça autorização para exumar o corpo e realizar nova perícia. O procedimento derrubou a tese de suicídio sustentada pelo Regime Militar.

O projeto do petista foi elaborado com a contribuição de representantes de várias entidades. Dentre elas, a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, da Comissão Anísio Teixeira Memória e Verdade e do Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília (UnB), da Casa Frida, e do Memorial Anistia.

Conteúdo programático Dentre outros, o projeto prevê que a disciplina deve conter o ensino dos seguintes tópicos: movimentos de resistência e a importância dos movimentos culturais e da música na resistência; práticas adotadas pelo regime tais como a tortura, as prisões arbitrárias e o encobrimento estatal das mortes praticadas por agentes públicos e a censura aos meios de comunicação.

Héber Carvalho

Ouça o Deputado Renato Simões na Rádio PT

” bg=”dd1a22″ leftbg=”dd1a22″ lefticon=”294781″ track=”ff1b2c” tracker=”ffff00″ text=”000000″ righticon=”294781″ width=”300″ rightbg=”408080″ volslider=”ffffff” skip=”ffffff”]” bg=”dd1a22″ leftbg=”dd1a22″ lefticon=”294781″ track=”ff1b2c” tracker=”ffff00″ text=”000000″ righticon=”294781″ width=”300″ rightbg=”408080″ volslider=”ffffff” skip=”ffffff”]

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

As eleições de 2020 e o PT

“É hora de unidade. É hora de posturas firmes e claras. Diante da gravidade da crise…