Home Portal Notícias Entrevistas Relator da Lei Geral da Copa analisa sucesso do evento que projetou positivamente o Brasil no mundo

Relator da Lei Geral da Copa analisa sucesso do evento que projetou positivamente o Brasil no mundo

19 min read
0
vicentecandidoCCJ
Foto: Gustavo Bezerra
 
Em entrevista exclusiva ao site PT na Câmara, o relator da Lei Geral da Copa na Câmara e atual presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Casa, deputado Vicente Cândido (PT-SP), faz um balanço positivo da Copa do Mundo realizada recentemente no País. “Eu sempre acreditei na capacidade do Brasil em realizar grandes eventos, a exemplo do carnaval, réveillon e outros, como por exemplo, a Fórmula 1”, afirmou. O parlamentar também discorre sobre os legados que o mundial deixa para o País, as críticas ocorridas antes da realização do evento e uma possível reformulação do futebol brasileiro.
 
PT na Câmara – Deputado Vicente Cândido, encerrada a Copa do Mundo, qual a avaliação que o senhor faz sobre o evento?! 
Deputado Vicente Cândido – Olha, eu acho que surpreendeu até os otimistas. A mim nem tanto, porque eu sempre acreditei na capacidade do Brasil em realizar grandes eventos, a exemplo dos carnavais, réveillon e outros, como por exemplo, a Fórmula 1. Eu nunca tive dúvida de que, quando a bola começasse a rolar, o povo iria entrar nesse jogo e iria ajudar a fazer a maior Copa da história. 
 
PT na Câmara – Muito se criticou o legado que o evento deixaria para o País. Em sua opinião, quais os benefícios gerais que a Copa trouxe para o Brasil?
Deputado Vicente Cândido  – Posso listar dois legados. O primeiro é o pensamento disseminado na sociedade brasileira, nos governos em todos os níveis, e entre os dirigentes esportivos, sobre a importância do esporte na vida das pessoas, na economia e na integração social. Um segundo legado foi a projeção do Brasil para o mundo. Sabemos quanto custa 1 minuto de televisão para divulgar um produto, agora imagine ter isso durante 30 dias, aliás, durante cinco anos no mundo todo? Fui testemunha disso. Onde tinha programação esportiva se falava do Brasil. E agora, durante a Copa, de forma mais intensa, se falava das coisas boas do Brasil, da nossa gastronomia, das nossas praias, das belezas naturais, do povo e da hospitalidade. Isso não tem preço. 
 
PT na Câmara – E quais foram os legados em outros setores específicos?
Deputado Vicente Cândido – A realização da Copa também serviu para induzir o crescimento da cadeia econômica do turismo, atrair investimento estrangeiro, e globalizar os nossos produtos e a nossa cultura. Mas só poderemos medir tudo isso com exatidão nos próximos anos. Tivemos ainda a construção dos estádios, um legado material que se não fosse a Copa não teria existido. E quem tem o melhor futebol do mundo, tem que ter os melhores estádios. Se não fosse a Copa, talvez também não tivéssemos agora a reforma dos aeroportos. Mas a presidenta Dilma teve a coragem de fazer as concessões e hoje temos aeroportos modernos. 
 
PT na Câmara – Deputado, a oposição e grande parte da mídia, que antes só criticavam o evento, agora dizem que a presidenta Dilma tenta “faturar politicamente” com o sucesso da Copa. Como o senhor avalia essa questão? 
Deputado Vicente Cândido – Esse evento só aconteceu por causa do governo do PT. Não fosse o presidente Lula, não teria Copa do Mundo, e se não fosse a presidente Dilma, com todo apoio, seja de logística ou do ponto de vista financeiro, para honrar as 11 garantias que o governo brasileiro assinou com a FIFA, não teria ocorrido a Copa do Mundo. Então, é natural que agora que temos um balanço positivo a presidente esteja naturalmente associada a isso, porque se houvesse algum escorregão, algum deslize ou incidente a oposição iria tirar proveito com muita contundência. 
 
PT na Câmara – Ainda sobre essas críticas em relação à Copa no Brasil, o senhor acredita que foi apenas um complexo de inferioridade em relação a outras nações ou foram de má-fé? Qual a sua avaliação? 
Deputado Vicente Cândido – Como estamos em um ano eleitoral, e temos um setor da mídia que bate muito no nosso governo e no nosso partido, a oposição acabou pegando carona nessa situação e começou a criar fantasias de que a Copa não daria certo, de que a infraestrutura não estaria pronta, de que o governo não tinha planejamento e nem controle. Mas bastaram os jogos da primeira rodada para desmontar essas mentiras que já estavam virando verdade na cabeça do povo. Felizmente os resultados estão aí para comprovar o contrário do que previu a oposição e setores da mídia. 
 
PT na Câmara – Levantamentos recentes comprovam o sucesso da Copa entre a população brasileira, mesmo com a derrota do Brasil em campo. É correto afirmar que a oposição e a mídia subestimaram a percepção do povo brasileiro? 
Deputado Vicente Cândido – É uma insanidade pensar que o povo fosse rejeitar a Copa do Mundo, ou ter hostilidade em relação ao futebol, aquilo que é um grande patrimônio cultural do Brasil. Creio que continuamos a ter o melhor futebol do mundo, e não perdemos essa credencial porque perdemos a Copa. Quem tem um penta campeonato, e vários outros títulos ganhos ao longo da história, tem o respeito da torcida brasileira e até dos adversários. É verdade que a derrota foi inusitada, e que havia uma expectativa maior porque estávamos sediando o evento. Mas jogo é jogo, e nem sempre ocorre aquilo que é a nossa vontade. Mas o balanço de toda a Copa dentro do campo também é positivo, pelo nível técnico dos jogos. Não tenho dúvida de que essa foi a Copa das Copas. 
 
PT na Câmara – Muito se fala sobre uma reformulação do futebol brasileiro após a derrota do Brasil para a Alemanha (7 x 1), na semifinal, e para a Holanda (3 x 0), na disputa do terceiro lugar. O senhor é defensor dessa tese? 
Deputado Vicente Cândido – Eu só repilo o oportunismo. Às vezes por uma derrota você acaba exacerbando um debate irracional e oportunista que pode ter uma conotação política. Acho que isso não traz seriedade à discussão. Eu sempre disse, e continuo dizendo, mesmo após a derrota para a Alemanha e a Holanda, que o Brasil precisa fazer uma reforma profunda não apenas no futebol, mas no esporte brasileiro. Não quero discutir só o futebol.  Sou dirigente de futebol, sou vice-presidente da Federação Paulista de Futebol, sou conselheiro do Corinthians, e sou autor de projetos de lei como vereador, deputado estadual e aqui no Congresso sobre o assunto, mas sempre procuro discutir o esporte como um todo. 
 
PT na Câmara – Como o parlamento pode ajudar nessa reformulação do esporte? 
Deputado Vicente Cândido – Temos aqui no Congresso um projeto estruturado para reescalonar a dívida dos clubes, e que cria um Fundo Nacional do Esporte, com aproximadamente 1 bilhão de reais por ano (Programa de Fortalecimento dos Esportes Olímpicos – Proforte – PLs 5201/13 e 6753/13). Creio que esse montante ainda é pouco, pelo tamanho do PIB, pela importância do Brasil, pela importância da cadeia produtiva do esporte, que hoje emprega tantas pessoas quanto a indústria automobilística, mas é um bom  início para quem hoje investe apenas 200 milhões de reais por ano. Vamos multiplicar por cinco os investimentos, mas precisamos investir cerca de dois a três bilhões por ano para democratizar o acesso ao esporte, e formar atletas de rendimento para disputar olimpíadas em suas mais de 40 modalidades.  
 
PT na Câmara – O senhor foi o relator da Lei Geral da Copa na Câmara, qual foi à contribuição dessa lei para o sucesso do mundial?
Deputado Vicente Cândido – A Lei deu segurança jurídica para a realização do evento, foi o marco regulatório. A Lei regulou a reserva de ingressos para a população de baixa renda, e para deficientes físicos, idosos e estudantes pela meia entrada. Tivemos ainda a definição da forma de acesso aos ingressos via sorteio.  A previsão era de que a demanda fosse por 10 milhões de ingressos, enquanto a FIFA iria negociar para o público cerca de 1,2 milhão, porque os outros dois milhões eram corporativos, para empresas. E a maneira mais democrática para a compra seria o sorteio, que também evitou aquelas filas horrorosas que nós estamos acostumados a ver no campeonato brasileiro. Outro ponto foi à questão do respeito à proteção às quase 200 marcas associadas ao evento e a FIFA. Nesse caso, nossa legislação era muita falha e não dava garantias. Isso também foi resolvido.  
 
PT na Câmara – O senhor está sentindo saudade da Copa realizada aqui no Brasil? 
Deputado Vicente Cândido – A Copa deixou saudade. Essa semana mesmo eu assisti a reprise de dois jogos. Eu até brinquei que as reprises da Copa terão mais audiência que os jogos do campeonato brasileiro, que estão com o nível técnico baixo. Melhorar isso é um desafio.  
 
Ouça o Deputado Vicente Cândido na Rádio PT

” bg=”dd1a22″ leftbg=”dd1a22″ lefticon=”294781″ track=”ff1b2c” tracker=”ffff00″ text=”000000″ righticon=”294781″ width=”300″ rightbg=”408080″ volslider=”ffffff” skip=”ffffff”]” bg=”dd1a22″ leftbg=”dd1a22″ lefticon=”294781″ track=”ff1b2c” tracker=”ffff00″ text=”000000″ righticon=”294781″ width=”300″ rightbg=”408080″ volslider=”ffffff” skip=”ffffff”]
Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Nota do PT: General da Saúde compromete Forças Armadas com crimes de Bolsonaro contra a população

NOTA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES GENERAL DA SAÚDE COMPROMETE FORÇAS ARMADAS COM CRIMES DE…