Home Portal Notícias Luiz Couto denuncia calúnias que usam nome da CNBB e do Papa contra Dilma

Luiz Couto denuncia calúnias que usam nome da CNBB e do Papa contra Dilma

3 min read
0

LuizCoutotribuna

O deputado Luiz Couto (PT-PB) denunciou, nesta quarta-feira (14), o uso ilegal do nome da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para a disseminação de calúnias contra a presidenta Dilma Rousseff. A mensagem caluniosa vem sendo espalhada pela Internet através do e-mail “heliostrobel@superig.com.br” e é baseada numa carta escrita em 2010 pelo bispo Dom Luiz Gonzaga Bergonzini, falecido em 2012. A carta é repleta de mentiras a respeito do 3º Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH3) e de posições da então candidata à presidência sobre temas polêmicos para os cristãos.

A “corrente” atual, tida por Luiz Couto como absurda, diz que a “CNBB recomenda os católicos não reelegerem Dilma” e também cita o sumo pontífice: “Se tiverem a coragem do Papa Francisco e falarem nas missas, certamente atingirão milhões de fieis, ainda que sejam fregueses das bolsas de tudo” [confira na imagem abaixo].

Luiz Couto repudia o uso do nome da CNBB e do Papa para a campanha mentirosa. “Usar o nome do reverendíssimo Papa Francisco e falar em nome da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil é uma grande falsidade ideológica e um crime de alto escalão”, criticou o parlamentar, que é padre católico.

“Não somos contra a liberdade de expressão. Porém, esta liberdade precisa ser verdadeira, concretizada pela verdade e provada através da verdade, o que não aconteceu nesta mencionada nota aos fieis católicos”, prosseguiu Couto.

O deputado paraibano disse que “a mentira nunca prevalecerá” e informou que denunciará a campanha e pedirá providências à presidenta Dilma, à Policia Federal e ao ministro da Justiça “para que investiguem quem está por trás desta fajuta e caluniosa inverdade”.

Rogério Tomaz Jr.

cnbb

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Toda atuação de Moro contra Lula deve ser anulada, diz jurista

Integrante da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD), a advogada Martír …