Home Portal Notícias Cemig terá de explicar “distorção” em propaganda institucional

Cemig terá de explicar “distorção” em propaganda institucional

3 min read
0

weliton luiz alves

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) vai ter de explicar para os integrantes da Comissão de Minas e Energia da Câmara as informações distorcidas veiculadas em propaganda institucional. O requerimento para ouvir o presidente da companhia foi aprovado nesta quarta-feira (14) e é de autoria dos deputados Weliton Prado (PT-MG) e Carlos Zarattini (PT-SP).

Segundo Weliton Prado, propaganda institucional veiculada em Minas  Gerais atribuía ao governo federal a responsabilidade pelo aumento no percentual de reajuste da tarifa de energia o que, na sua avaliação, não passa de disputa política.

Segundo o deputado, a Cemig pleiteou junto à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) um aumento de 29,74% nas tarifas de energia elétrica. No entanto, explicou, a Aneel autorizou um índice de 14,24%, bem abaixo daquele reivindicado pela empresa mineira.

“A Cemig distorceu a informação ao responsabilizar o governo federal pelo reajuste  na conta de luz. É importante a companhia esclarecer essa divulgação, que fere o direito do consumidor”, alertou Weliton Prado.

Ele disse ainda que a companhia poderia não aplicar reajuste nas tarifas de energia se assim o desejasse. Ele explicou também que a prerrogativa de aumento ou não nas tarifas de luz, é exclusiva da Cemig.

Desmentido Weliton Prado relatou que o comercial: “A tarifa da Cemig não é decidida pela Cemig. Quem define é um órgão do governo federal, a Aneel, que fica lá em Brasília”, foi desmentido pela Aneel.

“Após as denúncias, a Agência divulgou um vídeo desmentido as informações da Cemig. A companhia retirou a propaganda do ar, assumindo assim, o erro”, salientou Weliton Prado.

Benildes Rodrigues

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Petistas criticam canetada que eleva salário de Bolsonaro e ministros em até 69% acima do teto

Em plena pandemia da Covid-19, com mais de 14 milhões de brasileiros desempregados e um au…