Home Portal Notícias Comissão de Seguridade Social promove debate sobre diagnóstico e tratamento do câncer de mama

Comissão de Seguridade Social promove debate sobre diagnóstico e tratamento do câncer de mama

4 min read
0
cancerdemama
 
O Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima que em 2014 devem surgir no Brasil 57.120 novos casos de câncer de mama.  Em 2011, a doença matou mais de 13 mil mulheres e é a primeira causa de morte por câncer na população feminina brasileira, com 11,88 óbitos/100.000 mulheres em 2011. As regiões Sudeste e Sul são as que apresentam as maiores taxas, com 13,67 e 13,18 óbitos/100.000 mulheres em 2011, respectivamente. 
 
Para debater a aplicação da portaria 1.253/13 do Ministério da Saúde que trata sobre procedimentos, diagnósticos e investigação da doença, a Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara realiza, no dia 25 de março (terça-feira), uma audiência pública. A iniciativa faz parte da proposta do presidente da comissão, deputado Amauri Teixeira (PT-BA), de dedicar o mês de março a discussões sobre temas relacionados ao universo feminino.
 
Serão convidados para o debate especialistas como a médica Maira Caleffi, presidente da Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama); Ruffo de Freitas Júnior, presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia e Antônio Nardi, presidente do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), além de representante do Ministério da Saúde.
 
A portaria 1.253 do Ministério da Saúde altera alguns procedimentos na tabela de procedimentos, medicamentos, órteses, próteses e materiais especiais do Sistema Único de Saúde (SUS). A principal mudança trata sobre exames de mamografia.
 
O diagnóstico precoce da doença é fundamental para um tratamento eficaz e prognóstico bom. No Brasil, as taxas de mortalidade por câncer de mama continuam elevadas. Uma das causas é porque a doença ainda é diagnosticada em estádios avançados. Na população mundial, a sobrevida média após cinco anos é de 61%.
 
Relativamente raro antes dos 35 anos, acima desta faixa etária a incidência cresce de forma rápida e progressiva. Estatísticas indicam aumento da incidência tanto nos países desenvolvidos quanto nos em desenvolvimento. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), nas décadas de 60 e 70 registrou-se um aumento de 10 vezes nas taxas de incidência da doença, em diversos continentes. 
 
Agenda – A audiência pública da CSSF acontece a partir das 14h30, dia 25 de março (terça-feira), no plenário 7 do Anexo II da Câmara dos Deputados.
 
Assessoria CSSF 
Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Boletim 601 – Comitê Popular em Defesa de Lula e da Democracia

Boletim 601 – Comitê Popular em Defesa de Lula e da Democracia Direto de Curitiba – 14/10/…