Home Portal Notícias São Paulo: PT repudia violência policial na Cracolândia e cobra explicações de Alckmin

São Paulo: PT repudia violência policial na Cracolândia e cobra explicações de Alckmin

5 min read
0

cracolandia

A Bancada dos deputados estaduais do PT em São Paulo repudiou a operação surpresa do Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (Denarc), da Policia Civil, contra dependentes químicos na Cracolândia, no centro de São Paulo. Durante a operação, realizada na tarde de quinta-feira (23), policiais agrediram com balas de borracha e bombas de efeito moral uma multidão formada por trabalhadores, agentes públicos de saúde e assistência e pessoas em situação de rua, miséria, exclusão social e grave dependência química.

O líder da Bancada, deputado Luiz Claudio Marcolino, destacou que as medidas de repressão aos dependentes químicos adotadas anteriormente pelo governo do Estado agravaram o problema, espalhando-o para outras regiões da cidade, sem resolver a questão do tráfico de drogas e a reinserção dos usuários.

“O papel do Denarc é fazer investigações sobre a produção, distribuição do crack naquela região e no Estado de São Paulo, não protagonizar as cenas lamentáveis de truculência como as ocorridas na tarde de quinta- feira”, criticou o líder petista.

A prefeitura de São Paulo também repudiou a conduta do Denarc. A repressão, sem nenhum aviso ao prefeito Fernando Haddad (PT), coincidiu com a “Operação de Braços Abertos”, da prefeitura de São Paulo, uma política pública municipal pactuada com o governo estadual, que preconiza a não-violência e na qual a prisão de traficantes deve ser feita sem uso desproporcional de força.

Agentes da Prefeitura trabalham há seis meses para conquistar a confiança e obter a colaboração das pessoas atendidas. Em nota, a prefeitura reafirmou seu empenho na “solução deste problema da cidade e manifesta sua preocupação com este tipo de incidente, que pode comprometer a continuidade do programa”. Essa posição foi expressada diretamente ao Governo do Estado.

O líder do PT na Alesp informou que questionará o governador Geraldo Alckmin sobre a ação surpresa e violenta deflagrada contra os dependentes químicos. Marcolino ressaltou que ,no caminho inverso da repressão e violência, o prefeito Fernando Haddad tem se esforçado para traçar ações e políticas públicas de inclusão social dos dependentes pessoas químicos ao oferecer a elas oportunidade trabalho e resgate da cidadania.

Para o deputado, a repressão dos policiais do Denarc pode prejudicar a Operação Braços Abertos, que é sustentada na relação de confiança entre os dependentes e os agentes públicos. Muitas vezes as pessoas não sabem distinguir os agentes e as esferas públicas estaduais e municipais e isso pode afugentar aqueles que precisam de apoio para sair das drogas.

Leia mais:

Nota sobre operação na Cracolândia

Equipe PT na Câmara, com agências

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Bohn Gass cobra do Ministério da Economia estudos técnicos que justifiquem privatizar os Correios

O líder da Bancada do PT, deputado Elvino Bohn Gass (RS), cobrou do ministro da Economia, …