Home Portal Notícias PT vai lutar para aprovar emenda do voto aberto em todas as ocasiões, diz Sibá

PT vai lutar para aprovar emenda do voto aberto em todas as ocasiões, diz Sibá

5 min read
0

simbaManchete

O presidente da Comissão Especial da PEC 196/12, que institui o voto aberto apenas em casos de perda de mandato, deputado Sibá Machado (PT-AC), disse que o PT vai lutar para aprovar no plenário a emenda do partido, apresentada no colegiado pelo líder do PT, deputado José Guimarães (CE). A proposta, ao contrário da PEC 196/12, estabelece o voto aberto em todas as circunstâncias no parlamento. O relator da matéria na comissão, deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP), não acatou a emenda no relatório final da Comissão.

“Acho uma incoerência muito grande o PSDB dizer que é a favor do voto aberto, mas, ao mesmo tempo, cria dificuldade para aprovar a emenda que institui o voto aberto em todas as situações no parlamento”, afirmou Sibá. O parlamentar disse ainda que “se o PT sentir que a emenda do voto aberto poderá não passar no plenário” o partido pode obstruir a votação da matéria até que o Senado vote a proposta já aprovada na Câmara, que abre o voto dos parlamentares em todas as ocasiões.

No Senado, o líder do PSDB, senador Aloísio Nunes Ferreira (SP), foi o principal opositor à PEC do Voto Aberto (43/13), aprovada por unanimidade pela Câmara em setembro. O tucano chegou a propor emenda durante a votação da matéria na CCJ ao sugerir o voto aberto exclusivamente para cassação de mandato do parlamentar, mas os senadores da comissão rejeitaram a proposta. Para começar a valer, a PEC 43/13 deverá ser aprovada no plenário do Senado, em dois turnos, e depois segue para promulgação do Congresso. Neste caso, não há necessidade de sanção presidencial.

Apoio– A deputada Iara Bernardi (PT-SP), titular da comissão da PEC 196/12, enfatizou que “a luta da bancada petista na Câmara continua a mesma: pela aprovação da emenda que abre o voto em todas as situações”. Sobre a posição dúbia do PSDB, a favor da instituição do voto aberto, a parlamentar disse que “essa é uma característica do PSDB: falar uma coisa, e fazer outra”, acusou. Também membro da comissão, o deputado Alessandro Molon (PT-RJ) defendeu a aprovação da matéria. “Não queremos recuo. Queremos o fim do voto secreto para todas as votações do Congresso”.

Em discurso no plenário da Câmara, o deputado Renato Simões (PT-SP), suplente na comissão, disse que a aprovação da PEC atende as exigências da sociedade por mais transparência na política. “Esse processo de reclamação da situação obscura em que se envolve o Congresso Nacional em votações polêmicas foi um dos temas das manifestações de junho e de julho”, lembrou.

Héber Carvalho

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Programa “Future-se” do governo Bolsonaro é uma ameaça à Universidade pública, adverte Margarida Salomão

A deputada Margarida Salomão (PT-MG) fez hoje (19) severas críticas ao programa Future-se,…