Home Portal Notícias Terceirização: Petistas dizem não a projeto que retira direito dos trabalhadores

Terceirização: Petistas dizem não a projeto que retira direito dos trabalhadores

7 min read
0

Parlamentares da Bancada do PT se revezaram na tribuna da Câmara nesta quarta-feira (18), durante Comissão Geral, para dizer não ao projeto de lei da terceirização (PL 4330/04).  Eles criticaram a proposta do deputado Sandro Mabel (PMDB-GO), que tramita na Comissão de Constituição, por entenderem que o projeto prejudica os trabalhadores ao permitir a terceirização generalizada.

O deputado Ricardo Berzoini (PT-SP), ex-ministro do Trabalho e de Previdência e ex-sindicalista, foi um dos primeiros a se manifestar e afirmar que a proposta de terceirização é inconstitucional por ferir a representatividade dos sindicatos. “Ao se fragmentar esse patrimônio (a organização sindical), uma dura conquista será jogada na lata de lixo. Nós do PT não vamos entregar o patrimônio de luta dos trabalhadores aos empresários. Não aceitaremos uma terceirização que desrespeita a Constituição e a CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas). Não ao PL 4330!”, defendeu.

 Na avaliação da deputada Luci Choinacki (PT-SC) a terceirização vai rebaixar salários e tirar benefícios dos trabalhadores. “Um país rico como o Brasil precisa tratar o trabalhador com respeito e dignidade. A nossa obrigação é fazer leis que protejam os direitos desses trabalhadores e não aprovar projetos que rasguem a Constituição, que rebaixam salários”, afirmou.

Para o deputado Marcon (PT-RS) o PL 4330 é um projeto dos empresários. “Essa proposta tem que ser retirada de pauta. Ela é de autoria do empresário Sandro Mabel, como é que ela pode beneficiar trabalhador. Ao contrário, o projeto é contra a carteira assinada, contra a licença maternidade e tantos outros direitos trabalhistas”, criticou.

40 horas – A deputada Janete Pietá (PT-SP) foi enfática ao dizer que o PL 4330 é prejudicial à classe trabalhadora. “Não subestimem os trabalhadores brasileiros e seus representantes, eles estudaram a lei e sabem dos retrocessos que a proposta traz”, afirmou a deputada, rebatendo o autor da proposta que alegou que só é contra o projeto quem não leu a sua proposta.  Janete disse ainda que, se os empresários querem de fato ampliar direitos para os trabalhadores que então apoiem a redução da jornada de trabalho de 40 horas semanais. “Hoje a jornada é de 44 horas para os trabalhadores regulares e de 47 horas para os terceirizados”, acrescentou. O deputado Vicentinho (PT-SP), ex-presidente da CUT e um dos principais defensores do arquivamento do PL 4330 também foi ao microfone reforçar o não ao projeto. “A intenção da proposta é rasgar a CLT. A Bancada do PT não vai aceitar esse retrocesso”, afirmou.

O deputado Artur Bruno (PT-CE) disse que não vê autoridade no argumento dos defensores do projeto de que o PL 4330 regulariza e beneficia o trabalhador terceirizado. “O argumento é uma ofensa à nossa inteligência. Como pode beneficiar os trabalhadores se 19 dos 26 ministros do Tribunal Superior do Trabalho, 24 presidentes dos Tribunais Regionais do Trabalho e as principais centrais sindicais são contrários e afirmam que  a proposta retira direitos e reduz salários?”. 

O deputado Amauri Teixeira (PT-BA) também fez questão de declarar o seu repúdio à proposta do deputado Mabel. “O PL 4330 não quer a regularização do trabalho terceirizado, quer sim a escravização do trabalhador”, criticou.

“Somos frontalmente contra essa proposta de terceirização que fere de morte o trabalhador brasileiro,” afirmou a deputada Fátima Bezerra (PT-RN). E o deputado Luiz Couto (PT-PB) acrescentou que a Câmara não pode compactuar “com esse tiro que o projeto dá na classe trabalhadora do País”.

O deputado Décio Lima (PT-SC), que presidiu grande parte da Comissão Geral, e os deputados Pedro Uczai (PT-SC); Nelson Pellegrino (PT-BA) e Paulo Teixeira (PT-SP) também se manifestaram contra o projeto e em favor dos direitos trabalhistas já garantidos na Constituição e na CLT.

Vânia Rodrigues

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

PF diz que arquivos da Odebrecht podem ter sido adulterados para prejudicar Lula

Uma perícia realizada por membros da Polícia Federal em documentos do “setor de operações …