Home Portal Notícias Parecer à MP dos Mais Médicos traz inovações na formação dos profissionais de saúde

Parecer à MP dos Mais Médicos traz inovações na formação dos profissionais de saúde

6 min read
0

ROGERIOCARVALHO-280813

O deputado Rogério Carvalho (PT-SE), relator da medida provisória (MP 621/13) que institui o Programa Mais Médicos detalhou nesta quarta-feira (17), para a comissão mista que analisa o tema, os principais pontos do seu relatório e recomendou a aprovação do seu parecer. O texto, segundo o petista, traz três inovações no campo da política sanitária e sua conexão com o ensino da medicina no país. A mais importante delas, explicou, é aquela que promove aperfeiçoamento de profissionais da medicina na atenção básica da saúde nas regiões prioritárias do Sistema Único de Saúde (SUS).

Além disso, o texto estabelece um sistema de ordenamento de recursos humanos na área da saúde, priorizando as regiões onde a relação médico por habitante é insuficiente ou inexistente.  Para tanto, introduz a equiparação entre o número de vagas da residência médica e o número de egressos do curso de medicina. De acordo com Carvalho, esse é um requisito “obrigatório” para formação de médicos-especialistas no Brasil. Essa é uma forma de universalizar a residência médica, explicou o petista.

“São medidas que vão ajudar, primeiro, a formar mais e melhor os nossos médicos. Vão formar mais especialistas e permitir acompanhar a qualidade de formação desses especialistas. São medidas que vão orientar também, na distribuição desses profissionais em todo território nacional” explicou Rogério Carvalho.

Para atingir essa meta, o relator disse que em relação à graduação foram incluídas exigências para abertura e funcionamento dos cursos de graduação em medicina e mais rigor no cumprimento de diretrizes curriculares. Além disso, explicou o relator, foi incorporado também o teste de progresso na avaliação dos estudantes de medicina. Segundo ele, essa avaliação será feita a cada dois anos e será aplicada em todos os cursos de medicina do país. O objetivo, argumentou, é avaliar a qualidade desses cursos e medir o grau de desempenhos dos alunos ao longo da graduação. Rogério Carvalho disse ainda que esse mesmo procedimento será aplicado nos programas de residência médica. 

Registro provisório – Outra mudança incorporada no texto diz respeito ao registro profissional provisório para médicos estrangeiros que vão atuar no país. Com a mudança feita pelo relator, o registro provisório passa a ter validade a partir do protocolo. Ou seja, com o protocolo em mãos, o profissional vindo do exterior passa a ter autorização para atuar. Rogério Carvalho explicou que esse item foi introduzido em virtude da “desobediência legal” dos Conselhos Regionais de Medicina (CRM) que vêm postergando a concessão do registro provisório aos médicos estrangeiros.

“Os conselhos não podem impedir esses profissionais de entrarem e atuarem. É muito grave não fornecerem ou de postergarem a concessão do registro provisório. Eles estão retardando o acesso da sociedade ao trabalho desses profissionais. O que está em discussão é uma desobediência dolosa à lei. Isso é um ato de improbidade que precisa ser visto pelos órgãos de controle da sociedade”, reclamou.

Benildes Rodrigues

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Projeto de lei de Frei Anastácio propõe política de prevenção ao uso de drogas, em instituições de ensino superior

O deputado federal Frei Anastácio (PT-PB) apresentou o projeto de lei (PL 406/2020), que i…