Home Portal Notícias Brasil e Portugal terão reconhecimento de diplomas de medicina

Brasil e Portugal terão reconhecimento de diplomas de medicina

4 min read
0

nelsonpell

Foto: Gustavo Bezerra

Os governos do Brasil e de Portugal negociam um acordo para o reconhecimento mútuo dos diplomas de medicina. Em audiência pública realizada na Câmara dos Deputados, Alexandre Padilha explicou que as negociações foram iniciadas na segunda-feira (10), em Lisboa, quando se reuniu com o ministro português da Saúde. Segundo ele, “Portugal reduziu em 30% os investimentos no setor. Além disso, cerca de 200 médicos brasileiros que atuam no país manifestaram interesse em retornar ao Brasil”.

O ministro revelou ainda o interesse brasileiro em atrair médicos da Espanha onde 20 mil profissionais estão desempregados. Estes médicos serão submetidos a provas e receberão um registro especial para exercerem a profissão no país.

Para o presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (CREDN) da Câmara dos Deputados, Nelson Pellegrino (PT-BA), “a importação de médicos não pode ser reduzida a questões ideológicas. Ela é parte de uma estratégia que deve contemplar ainda o financiamento da saúde e a gestão dos gastos no setor”.

Durante o encontro, Alexandre Padilha reconheceu que o governo ainda não fechou a forma como os médicos estrangeiros serão contratados, mas enfatizou que “o Brasil não pode esperar oito anos, que é o tempo mínimo de formação de um médico no país, para suprir a demanda atual e a que será criada no curto prazo”.

Para Nelson Pellegrino, “o governo poderia aplicar a prova do Revalida aos estudantes brasileiros que estão concluindo o curso de medicina e utilizar a média obtida por eles como exigência mínima aos estrangeiros que forem selecionados”.

O deputado também pediu ao ministro da Saúde para incluir os hospitais militares entre as instituições a serem reforçadas com pessoal do exterior. “Esses hospitais geralmente são os únicos existentes nas regiões mais longínquas do país e não são exclusivos dos militares, pelo contrário, atendem a brasileiros e estrangeiros, aos indígenas e demais povos da floresta como no caso do hospital de Tabatinga (AM)”, afirmou.

assessoria da Comissão de Relações Exteriores 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Governo ‘não tem proposta para enfrentar cenário de crise’, diz economista

Tânia Bacelar lembra que o crescimento econômico, antes da pandemia, já era baixo. Para a …