Home Portal Notícias Especialistas defendem valorização de mestres da cultura popular

Especialistas defendem valorização de mestres da cultura popular

5 min read
0

EdsonSantosA Comissão de Cultura da Câmara debateu nesta terça-feira (11) a transmissão via oral do conhecimento por meio de mestres e mestras dos saberes e fazeres das culturas populares. Durante a audiência pública, o debate concentrou-se na avaliação do Projeto de Lei nº 1.176/2011, de autoria do deputado Edson Santos (PT-RJ), que trata do tema. Os participantes defenderam a aprovação da proposta, equiparando em importância o ensino tradicional com o transmitido via oral.

“Essa foi uma audiência pública qualificada, que reforçou a necessidade de valorizar a cultura por meio da certificação dos mestres da cultura popular”, destacou o deputado. Santos enfatizou  ainda o apoio obtido durante a reunião à proposta do pagamento de bolsas para os disseminadores do conhecimento. “Eles poderão obter Bolsas do CNPq, de até quatro anos, que poderá ser de doutorado e mestrado para os mestres mais antigos, e até de iniciação científica para os mais novos”, explicou.

Segundo a representante do Ministério da Cultura e Diretora do Departamento Imaterial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), Célia Corsino, se a bolsa seguir o modelo do CNPq, poderá variar de R$ 1500 e R$ 2000 mensais. “O governo também poderá inserir os mestres no programa Mais Cultura nas Escolas, do governo federal”, opinou.  

Durante a reunião, o Secretário Executivo da Rede das Culturas Populares e Tradicionais, Marcelo Manzatti, reconheceu avanços obtidos nos últimos anos. “Nos últimos dez anos muitas medidas contribuíram para reconhecer as comunidades tradicionais e o saber disseminado por elas, seja entre a comunidade indígena, quilombola e mesmo cigana”, lembrou.

Já o professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Marcelo Ferreira, disse que a tradição oral do conhecimento é a “afirmação da cultura e do saber popular.” Para ele, não deve existir disputa de modelos de transmissão da cultura oral e escrita, mas sim “a coexistência pacífica entre os dois modelos”.

Lei – O texto do projeto de lei em tramitação define como mestre da cultura a pessoa cuja vida ou obra foi dedicada ao desenvolvimento da cultura tradicional e à transmissão desses saberes. O Conselho Nacional de Política Cultural será o órgão responsável por analisar os pedidos de concessão do título.

Os deputados petistas Nilmário Miranda (PT-MG), Paulo Ferreira (PT-RS) e Zezéu Ribeiro (PT-BA) também participaram da audiência pública. Estiveram presentes ainda a representante Nacional dos Griôs e Mestres, Maria dos Anjos Gomes (Mestra Doci); e o Coordenador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para inclusão no Ensino Superior do CNPq, José Jorge de Carvalho.

Héber Carvalho

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

João Daniel denuncia que regularização fundiária proposta por Bolsonaro acentua injustiça agrária

A preocupação com a medida provisória (MP 910/19), editada esta semana pelo governo federa…