Home Portal Notícias Nordestinos reivindicam reabilitação do Padre Cícero; líder do PT quer reunião com o Papa

Nordestinos reivindicam reabilitação do Padre Cícero; líder do PT quer reunião com o Papa

8 min read
0

padrecicero3

A vinda do papa Francisco ao Brasil, em julho próximo, alimenta em uma comitiva de nordestinos a esperança de vê-lo e de ser recebido por ele. O objetivo é resgatar diante do Vaticano a história de um ícone da religiosidade cearense: o padre Cícero Romão Batista, falecido há quase 80 anos. O líder do PT na Câmara, deputado José Guimarães (CE), é um dos artífices da iniciativa e explica que a intenção de ficar diante de Sua Santidade é “fazer justiça” ao religioso – um personagem que carrega a pecha de ser um dos mais controversos da história da Igreja Católica Apostólica Romana. 

Mais conhecido como Padre Cícero ou, popularmente, como “Padim Ciço”, a figura do líder religioso, que recebeu da Santa Sé o título de clérigo insubordinado e foi acusado por ela de ser um herege, mantém-se viva entre os mais de dois milhões de romeiros que são arrastados anualmente a Juazeiro do Norte, no extremo sul do Ceará, para renovar votos de fé diante daquele que consideram um “padre-santo-milagreiro”. 

A investida que o petista José Guimarães, conterrâneo do padre, planeja fazer junto ao Sumo Pontífice é no sentido de que esse reconhecimento popular acerca da santidade de Cícero – revelada pela incontável quantidade de milagres atribuídos ao religioso nordestino – seja finalmente acolhido pela Igreja Católica, com a revisão da sentença que o baniu dos seus quadros.

“O Brasil tem essa dívida histórica e precisa resgatar a figura de padre Cícero Romão Batista diante da Igreja Católica. Ele é uma referência da religiosidade cearense e nordestina e teve um legado umbilicalmente ligado à Igreja, sempre fazendo a opção pelos simples e pelos pobres”, justifica o líder petista, que pretende ser recebido pelo Papa juntamente com uma comitiva de outros políticos cearenses durante a vinda do Papa Francisco para a Jornada Mundial da Juventude, em julho.

A pedido de José Guimarães, a articulação para garantir o encontro está sendo feita pelo secretário-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, que espera viabilizar com o Vaticano a realização da audiência. “O momento é excepcional para tratar desse assunto, já que o Papa Francisco é muito vinculado à justiça social, aos mais pobres, e está resgatando o papel da Igreja Católica”, reforça o líder do PT.

Comunhão – Toda a polêmica com relação a Cícero Romão Batista começou com a ocorrência de um fenômeno inusitado numa sexta-feira da Quaresma, exatamente em 1º de março de 1889. Na manhã daquele dia, a beata Maria de Araújo, ao receber a comunhão das mãos de Padre Cícero, experimentou algo inexplicável: a hóstia, ao tocar sua língua, se verteu em sangue. O fenômeno passou a se repetir com frequência. A notícia se espalhou, atraindo multidões ao povoado do Juazeiro do Norte, que viam naquele fato a comprovação da presença de Deus entre aquele povo sofrido do sertão. A Igreja, que enxergava com ressalvas aqueles episódios, acabou por punir Cícero após vários pedidos para que a situação fosse tratada com cautela.

O Vaticano já dispõe de ampla documentação sobre o caso do Padre Cícero, a fim de redimi-lo da sentença que lhe custou a pena de ser afastado de suas funções clericais. O processo para reabilitação do “Padim Ciço” foi oficialmente repassado ao cardeal Josef William Levado, então prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, em 30 de maio de 2006, por uma comitiva que saiu do Ceará com essa missão específica.

Com a recente troca de comando no Vaticano, o italiano dom Fernando Panico – atual bispo da Diocese do Crato, cidade vizinha a Juazeiro do Norte, e responsável pelo processo de reabilitação de Padre Cícero junto ao Vaticano – lamentou o fato de a reabilitação do religioso não ter ocorrido durante o papado de Bento XVI. Panico afirma que o então papa se mostrava preocupado com a demora do processo e havia lhe prometido durante um encontro em Roma que iria acelerar o julgamento do caso.

Segundo o bispo do Crato, foi o próprio Bento XVI – à época, ainda na condição de cardeal Josef Ratzinger, prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé – que o incentivou a pesquisar e a dar inicio ao processo de reabilitação do Padre Cícero.

Tarciano Ricarto

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Toda atuação de Moro contra Lula deve ser anulada, diz jurista

Integrante da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD), a advogada Martír …