Home Portal Notícias Brasileiros presos: deputados veem avanços na Bolívia

Brasileiros presos: deputados veem avanços na Bolívia

3 min read
0

pellegrino

Os deputados que integram o Grupo de Trabalho criado para acompanhar a situação dos 12 brasileiros presos na Bolívia estão otimistas quanto a um desfecho positivo para os torcedores do Corinthians acusados de participação na morte de um torcedor do San José, ocorrida em fevereiro, durante partida pela Taça Libertadores.
O Grupo de Trabalho criado no âmbito da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (CREDN) da Câmara dos Deputados, reuniu-se na terça-feira (7), com representantes dos ministérios das Relações Exteriores, Justiça, da Secretaria Nacional de Direitos Humanos, e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). De acordo com Vítor Paulo (PRB-RJ), coordenador do GT, “houve avanço com a vinda ao Brasil do promotor boliviano no caso para ouvir o menor que confessou ter disparado o sinalizador. Além disso, já tivemos a reconstituição do fato e encaminhamos à Justiça boliviana um vídeo periciado da partida. Esses são elementos suficientes para que o juiz relaxe a prisão dos 12 brasileiros”, explicou.
Na semana que vem o deputado acompanhará o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo à Bolívia. Os dois se reunirão com as autoridades bolivianas para buscar a prisão domiciliar para os brasileiros. Para tanto, a embaixada do Brasil em La Paz já alugou uma casa na cidade de Oruru, onde eles aguardam o indiciamento formal.
Para o presidente da CREDN, deputado Nelson Pellegrino (PT-BA), “os próximos 15 dias serão decisivos. O Brasil tem feito de tudo para mostrar que a prisão dos 12 é ilegal. Inclusive, cinco deles estavam do lado de fora do estádio quando houve o disparo. Estamos buscando o relaxamento das prisões com respeito às normas de Justiça boliviana”.
(assessoria a Comissão de Relações Exteriores )

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Renda dos trabalhadores cai 20% e inflação de alimentos aumenta

Completa ausência de medidas da área econômica do governo eleva preços de produtos como ól…