Home Portal Notícias Incra anuncia ações para compensação ambiental

Incra anuncia ações para compensação ambiental

5 min read
0

comp_ambientalO presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Rolf Hackbart, anunciou a concessão do Direito Real de Uso, ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), de oito áreas de domínio da União, localizadas dentro de Unidades de Conservação na região Amazônica.

São, ao todo, 5.521.528 hectares repassados ao órgão ambiental, que poderá, agora, dar continuidade ao trabalho de regularização fundiária na localidade.

A concessão de três dessas áreas já foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) em julho e agosto deste ano. Trata-se de terras das Reservas Extrativistas Barreiro das Antas (106.197 hectares), Lago do Cuniã (49.687,82 hectares) e Rio Cautário (75.124,95 hectares), todas no estado de Rondônia. A ação possibilitará a compensação do passivo ambiental em 21 assentamentos do estado. Foram compensados 114.061,74 hectares dos 182.831 que totalizam os assentamentos, beneficiando 4.908 famílias.

As outras cinco áreas que serão repassadas pertencem às Florestas Nacionais São Francisco (21.147,67 hectares), Santa Rosa dos Purus (231.555,52 hectares), ambas no Acre, e de Pau-Rosa (965.489,77 hectares), no Amazonas; além de áreas dos Parques Nacionais Montanhas do Tumucumaque (3.789.918,30 hectares), no Amapá, e Serra da Cutia (282.407 hectares), em Rondônia.

Dos 46,7 milhões de hectares incorporados à reforma agrária pelo Incra entre 2003 e 2009, 36,9 milhões foram transformados em projetos ambientalmente diferenciados, que se caracterizam pelo uso racional e sustentável dos recursos naturais. Isto corresponde a 79% da área incorporada à reforma agrária no período em todo o país. A maioria destes assentamentos está na Amazônia Legal.

Ao todo, 176,1 mil famílias vivem em 486 projetos de Desenvolvimento Sustentável (PDS), de Assentamento Agroextrativista (PAE) e de Assentamento Florestal (PAF). O número também inclui populações tradicionais que vivem em áreas de Reserva Extrativistas (Resex), Florestas Nacionais (Flona) e Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS), que passaram a ser atendidas por políticas públicas do Incra.

Regularização fundiária – Em março deste ano, o Incra e o ICMBio firmaram uma portaria conjunta regularizando a transferência de áreas do Incra em unidades de conservação federal para o ICMBio. Esse esforço interministerial se iniciou a partir de uma demanda do Plano de Ação Prioritário 2009-2010 elaborado pela Comissão Nacional de Desenvolvimento Sustentável de Povos e Comunidades Tradicionais, sob a coordenação da Casa Civil. Essa articulação permitiu dar celeridade a processos já em andamento na SPU sob demanda do ICMBio, atendendo a antigas reivindicações das populações das Reservas.

Com a edição da Portaria Interministerial MPOG/MMA nº 436, em dezembro de 2009, os procedimentos para a regularização de Unidades de Conservação situadas em áreas da União foram simplificados pela transferência da gestão dessas terras aos órgãos ambientais federais para fins de regularização em favor das comunidades extrativistas, pela outorga do título de Concessão de Direito Real de Uso coletiva e gratuita.

assessoria do MDA

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Gleisi avalia eleições: “PT e esquerdas precisam se fortalecer para enfrentar o que vem por aí” 

Em entrevista concedida ao cientista político Alberto Carlos Almeida, a presidenta naciona…