Home Portal Notícias Governo cria estrutura nacional para proteger Aquífero Guarani

Governo cria estrutura nacional para proteger Aquífero Guarani

4 min read
0

aquiferoO Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNRH) aprovou recomendação para a formação de uma estrutura nacional que possibilite o acompanhamento das ações de proteção do Aquífero Guarani. A proposta está no Diário Oficial da União desta sexta-feira (18). O aquífero é a maior reserva subterrânea de água doce do mundo.
O acompanhamento da reserva de água deverá ser feito de forma permanente e articulada com os estados abrangidos pelo aquífero – Minas Gerais, São Paulo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Ele também está situado no sub-solo de parte da Argentina, do Paraguai e Uruguai.
Entre os objetivos está o de promover e intensificar a formulação e a implementação de políticas, programas e projetos relativos ao gerenciamento e uso sustentável da água, considerando principalmente a importância estratégica dos recursos hídricos subterrâneos.

O deputado Dr. Rosinha (PT-PR) aguardava “com ansiedade” uma deliberação em torno do aquífero. Segundo ele, o território que envolve a reserva tem sido ocupado de maneira irregular. “Como não tem disciplina legal, qualquer indústria se instala no território. Agrotóxicos são usados de maneira descontrolada, deixando a reserva sujeita a qualquer tipo de contaminante”, denunciou o parlamentar. Ele alertou ainda para a compra de grandes extensões de terras na superfície onde está localizado o aquífero.

No Brasil, o controle sobre a reserva de água será coordenado pela Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do ministério do Meio Ambiente. A Agência Nacional de Águas (ANA) vai implementar o programa que inclui a ação Implementação da Gestão Integrada de Águas Subterrâneas e Superficiais no Programa Plurianual (PPA) do governo federal.

A maior parte da área ocupada pelo aquífero – cerca de 1,2 milhão de km2 – está no subsolo do centro-sudoeste do Brasil. O restante fica distribuido entre o nordeste da Argentina (255 mil km²), noroeste do Uruguai (58 500 km²) e sudeste do Paraguai (58 500 km²), nas bacias do rio Paraná e do Chaco-Paraná. A população atual do domínio de ocorrência do aquífero é estimada em quinze milhões de habitantes.

Equipe Informes

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

José Guimarães apresenta projeto para barrar exclusão de 17 ocupações do MEI

Proposta susta efeitos de resolução que retira direitos de profissionais ligados, entre ou…