Home Portal Notícias Nova lei eleitoral libera uso da internet nas campanhas

Nova lei eleitoral libera uso da internet nas campanhas

4 min read
0

urna_eletronica_votoA Câmara aprovou na noite desta quarta-feira a nova lei eleitoral que estabelece regras para as próximas eleições. Os deputados rejeitaram todas as mudanças feitas pelo Senado, com exceção de três emendas que liberam a propaganda eleitoral pela internet. Para entrar em vigor a lei precisa ser sancionada pelo Presidente da República até o dia 2 de outubro.

O líder da bancada do PT na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (SP), considerou o texto aprovado um avanço político. “As novas regras atendem a democracia e os partidos políticos”, destacou Vaccarezza.

Para o deputado Magela (PT-DF) a nova lei melhora a possibilidade do uso da rede de computadores na campanha eleitoral. “No caso da Internet não podemos fechar, nem abrir, nem escancarar. Precisamos ter uma postura de permitir o uso com regras claras e limitações objetivas. Não é o ideal, mas certamente é a lei eleitoral possível no momento”, disse Magela.

Na avaliação do deputado José Genoino (PT-SP), a proposta é mais um passo para o aperfeiçoamento da legislação eleitoral do País. “O desejo era de que houvesse não só reforma eleitoral, mas a reforma política. As modificações apresentadas no Senado, entretanto, contribuem para o fortalecimento da nossa democracia. Poder ampliar, por exemplo, o espaço comunicativo nas campanhas por meio da Internet é algo a se comemorar, tanto por parlamentares, quanto por eleitores”, declarou o parlamentar.

Internet: O texto aprovado impede as restrições à cobertura das eleições pela Internet. Os candidatos têm liberdade total na internet ao utilizarem blogs, mensagens instantâneas e sites de redes sociais. Nas últimas eleições, blogs e sites de candidatos eram proibidos de funcionar por pelo menos 48 horas antes das eleições. Com a nova proposta, as páginas ficam liberadas para o acesso, incluindo os sites de relacionamento e principalmente os comentários dos eleitores. Fica mantida a liberação para que sites, blogs e outros instrumentos usados por candidatos na internet fiquem no ar 24 horas depois do pleito. Com a liberdade de comunicação, o controle e o filtro de mensagens fica mais complicado, dessa forma, o anonimato dos comentaristas está proibido, visando a garantia do direito de resposta à ofensas. Também fica aprovado que o provedor de conteúdo ou de serviços multimídia só será considerado responsável pela divulgação da propaganda se a publicação do material for comprovadamente de seu prévio conhecimento.

Equipe Informes

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Com nova lei trabalhista, País retorna às relações de trabalho de 100 anos atrás

A Organização Internacional do Trabalho (OIT), iniciou no sábado (15), a discussão do caso…