Home Portal Notícias Manoel Matos: PGR pede transferência das investigações para a Polícia Federal

Manoel Matos: PGR pede transferência das investigações para a Polícia Federal

4 min read
0

manoelmatosO procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, solicitou nesta quarta-feira (24) ao Supremo Tribunal de Justiça (STJ) a transferência da investigação e julgamento dos fatos que envolvem a atuação de grupo de extermínio na divisa dos estados da Paraíba e Pernambuco para a Justiça Federal.

De acordo com ele, a incapacidade dos Estados-membros em oferecer respostas está evidenciada na falta de resultados práticos das investigações, bem como no envolvimento de seus agentes, em diversos níveis hierárquicos.
A decisão atende reivindicação de diversos parlamentares, movimentos sociais e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). As denúncias sobre os grupos de extermínio recrudesceram com o assassinato do o vice-presidente do PT em Pernambuco, o advogado Manoel Bezerra de Mattos Neto, de 44 anos, assassinado no dia 24 de janeiro deste ano.

O deputado Fernando Ferro (PT-PE), que acompanha as investigações desde o dia do crime, elogiou a decisão da Procuradoria Geral da República e ressaltou os avanços que poderão haver nas investigações a partir da transferência do caso para a competência da PF. “A análise feita pelo procurador reconhece o quadro de gravidade da região da fronteira de Pernambuco com a Paraíba. Isso é muito importante porque retira o foco da pressão política local que existe em função do envolvimento de policiais militares da região com os grupos de extermínio atuantes no local. Acreditamos que a atuação da PF vai aprofundar as investigações, para identificar os mandantes deste crime. Os executores são apenas uma ponta da rede de violência que matou várias pessoas, inclusive o Manoel Matos”, disse.

O assassinato do líder petista pernambucano foi marcado por grande comoção por parte de familiares e de lideranças políticas regionais e nacionais. Manoel Matos era perseguido na região por lutar contra a violação dos direitos humanos e por denunciar a ação de criminosos. Antes de ser assassinado, Manoel Matos chegou a receber escolta policial, em função das constantes ameaças de morte.


Edmilson Freitas

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

PT vai ao STF contra MP de Bolsonaro que retira da Funai demarcação de terras indígenas

O líder em exercício da Bancada do PT na Câmara, deputado José Guimarães (CE), enviou hoje…